<
>

Paulista: Raphael Claus apitará ida da final Corinthians x Palmeiras; Thiago Duarte Peixoto será VAR

play
Corinthians x Palmeiras: Renata Ruel analisa 'escalação polêmica' do árbitro Raphael Claus para a ida da final (4:32)

O juiz chega pressionado para a partida, já que vem de polêmicas seguidas em duas partidas do Timão (4:32)

Raphael Claus será o árbitro do jogo de ida da final do Campeonato Paulista 2020, entre Corinthians e Palmeiras, nesta quarta-feira, às 21h30 (de Brasília), em Itaquera.

O juiz chega pressionado para a partida, já que vem de polêmicas seguidas em duas partidas do Timão.

A primeira foi em Red Bull Bragantino x Corinthians, na última quinta-feira, pelas quartas do Estadual, no Morumbi.

Na ocasião, Claus aplicou apenas cartão amarelo no lateral-direito Fagner depois que o camisa 23 alvinegro deu uma solada violenta em adversário.

Já no último domingo, Claus comandou o VAR em Corinthians x Mirassol, pela semifinal, e novamente viu seu nome envolvido em confusão.

No 2º tempo, ele recomendou ao árbitro Vinícius Gonçalves Dias Araújo que olhasse no monitor após uma solada de Juninho, da equipe do interior paulista, que foi muito semelhante à de Fagner contra o Bragantino.

Originalmente, Araújo havia apenas anotado falta, sem sequer dar cartão a Juninho. Depois de ver o lance no monitor, porém, o juiz optou por expulsar o meia do Mirassol com vermelho direto.

Curiosamente, Claus também foi o árbitro de Corinthians 1 x 0 Palmeiras, pela 10ª rodada da fase de grupos do Paulista, há poucos dias.

THIAGO DUARTE PEIXOTO NO VAR

A escala de arbitragem para esta quarta-feira ainda tem outro nome curioso: Thiago Duarte Peixoto no comando do VAR.

O juiz tem a carreira marcada por um lance gravíssimo ocorrido justamente em um dérbi paulista.

Em 2017, pelo Estadual, ele expulsou o volante Gabriel, do Corinthians, de maneira equivocada, após uma falta cometida por Maycon, outro atleta alvinegro.

Após a partida, Peixoto deu entrevista emocionado, ainda na Arena Corinthians, admitindo o erro e chorando bastante.

As lágrimas, porém, não convenceram a FPF, que o afastou por um longo período da elite. Ele apitou diversos jogos nas divisões inferiores durante seu "castigo".

Desde 2019, porém, ele foi reintegrado aos poucos e agora, ao que tudo indica, recuperou o prestígio, sendo colocado pelo responsável pelo VAR na final do Paulista.