<
>

Destaque do Corinthians, Éderson já esteve na mira do Palmeiras, rival na final do Paulista, e superou 11 meses sem jogar

play
Éderson fala sobre comparações com Paulinho: 'Se tiver um pouquinho do que ele teve aqui, vou ser muito feliz' (1:06)

Volante do Timão foi o convidado especial do SportsCenter desta sexta-feira (1:06)

Grande nome do Corinthians na reta final do Campeonato Paulista, Éderson teve uma ascensão meteórica no futebol. Há cerca de dois anos, o jovem volante estava no Desportivo Brasil, equipe da cidade de Porto Feliz-SP, disputando Série A3 do Campeonato Paulista.

Por ter sido grande destaque desde muito garoto da equipe do interior, ele chegou a ser chamado para as seleções de base e despertou a cobiça de grandes equipes do futebol brasileiro.

Pelo Timão, em apenas cinco partidas, já fez três gols (um em cada uma das últimas três partidas) e colocou o alvinegro na final estadual.

Natural de Campo Grande, Éderson começou em uma escolinha antes de ser descoberto aos 13 anos pelo empresário César Godoy, que o viu em um torneio que tinha cerca de 400 meninos.

"Ele se destacou muito no meio da molecada, mas não poderia morar em alojamento dos clubes. Após falar com a família, o levamos para fazer avaliações em alguns times. Caso fosse aprovado em algum deles, ficaria alojado quando completasse 14 anos", explicou o agente, ao ESPN.com.br.

O jovem foi aprovado na Ponte Preta e depois no Desportivo Brasil, clube que foi escolhido para que ele permanecesse. Após passar pelas equipes inferiores e ser chamado para seleções sub-17 e sub-20 e fazer alguns jogos pelo time profissional, ele viveu o momento mais difícil da carreira.

"Ele ia para o Torneio de Toulon de 2017, mas sofreu uma lesão no joelho num amistoso contra o Cruzeiro sub-20. Ele rompeu os ligamentos, passou por uma cirurgia e ficou cerca de 11 meses parado. Ele voltou aos gramados em maio do ano passado jogando muito bem e surpreendendo a todos", contou César.

O auxiliar de Mano Menezes, Sidnei Lobo, indicou o jovem para o Cruzeiro. O volante chegou por empréstimo de um ano.

"O Palmeiras manifestou interesse, queria levá-lo para a base. Nesse meio tempo eu abri negociação com o Cruzeiro que queria trazê-lo ao profissional. Ele chegou em junho e só descia para jogar os torneios de base, sendo vice da Copa do Brasil sub-20 [perdendo a final para o Palmeiras]."

Éderson teve poucas chances com Mano Menezes e passou a jogar com mais frequência com Rogério Ceni, que chegou a testar Dodô e Robinho como volantes.

Destaque do meio de campo, ele continuou a jogar depois da chegada de Abel Braga, e assim que ele fez o gol da vitória cruzeirense em Itaquera, sua casa hoje em dia, no Brasileirão 2019. Éderson era o jogador mais avançado no ataque, e após vacilada da zaga do Corinthians, ele teve frieza para driblar Walter e estufar as redes.