<
>

Atlético-MG: Sette Câmara prevê mais reforços e crava: 'Queremos fazer até melhor que o Flamengo'

Em entrevista ao jornal O Globo, o presidente do Atlético-MG, Sérgio Sette Câmara, admitiu os atrasos de salários para o elenco, mas prometeu a contratação de mais dois ou três reforços para o técnico Jorge Sampaoli e prometeu à torcida que quer desenvolver um trabalho "melhor que o do Flamengo" em seu último ano de mandato na Cidade do Galo.

"O Atlético vai no mercado, sim. Temos necessidade de dois, três jogadores para acabar de fechar o elenco", afirmou, antes de reclamar que os preços estão inflacionados.

"Mas quando alguém sai no mercado como o Atlético saiu, todo mundo vira e faz oferta. Acham que nasceu árvore de dinheiro e vamos sair comprando. Não é por aí. Dentro do que foi combinado com o treinador, estamos cumprindo, mesmo durante a pandemia", salientou.

"Dificilmente vamos fazer outros grandes investimentos. Não tem mais espaço para isso. Vamos buscar oportunidades no mercado. Quem estiver livre para vir numa condição interessante, com interesse do treinador, vamos ao mercado, fazendo proposta de forma legítima", acrescentou.

Questionado sobre o porquê de estar fazendo altos investimentos em contratações através de parceiros, ao invés de equacionar a enorme dívida do clube para depois usar dinheiro próprio, Sette Câmara explicou que tudo faz parte de um plano, e que as contas do Galo estão sendo rigorosamente auditadas.

"Se for pagando dívida, não vamos fazer time forte. Uma coisa puxa a outra. Um time forte vai trazer torcida, engajamento, ativações para monetizar o engajamento", ressaltou.

"Do ponto de vista de cortar custos, fazer investimentos inteligentes, compliance, organização interna, estamos fazendo à risca, como aconteceu no Flamengo. Queremos fazer até melhor que o Flamengo", bradou.

Perguntado se estaria dando um arriscado all in, como no pôquer, para tentar conquistar títulos de forma urgente para o Atlético, Sette Câmara negou.

"De jeito nenhum. Não estou dando all in. Se fosse pôquer, eu diria que fiz cursinho com as cobras criadas de Las Vegas e aprendi a jogar. Agora, eu estou jogando com muita inteligência, com ajuda das pessoas certas, que estão me dando dicas e colocando nos eixos", afirmou.

"O presidente que entrou em 2018 amadureceu em todos os sentidos. A vida é assim. Temos que ter a humildade para ver onde estamos errando. Eu errei muito. Mas você vai melhorando. Esse é um dos motivos pelos quais eu penso que posso ser candidato à reeleição", complementou.