<
>

Jornal catalão analisa 'divórcio' Barcelona x Arthur: 'Desastre como profissional'

Nesta quarta-feira, o jornal La Vanguardia, o mais importante da região da Catalunha, publicou reportagem analisando o que chamou de "divórcio" entre o Barcelona e o volante Arthur, que já está negociado com a Juventus, nem se reapresentou no Camp Nou e tenta rescindir seu contrato para deixar de vez a equipe blaugrana.

Segundo o diário, o brasileiro vem se mostrando um "desastre como profissional" por estar se comportando desta maneira, enquanto, por outro lado, o também meio-campista Miralem Pjanic, que deixará a Juve para jogar no Barça em 2020/21 como contraparte da negociação, segue se doando ao máximo em Turim.

"Arthur, que vem sendo um desastre como profissional nas últimas semanas, e largou tudo de vez. Foi flagrado sem chuteiras e bocejando nas arquibancadas do Camp Nou enquanto seus companheiros corriam em campo nas últimas esperanças de ganhar LaLiga. E agora resolveu ficar no Brasil, pretendendo forçar sua rescisão de contrato para não voltar a vestir a camisa do clube pelo qual, há pouco tempo (em abril, lembremos), dizia querer triunfar", escreveu.

O diário também ironiza o fato de como o brasileiro tentou melhorar sua imagem através de declarações vazias e populistas através de assessoria de imprensa, enquanto na verdade só causava decepções dentro e fora de campo no Camp Nou.

"Durante abril, durante o confinamento, Arthur avisou a toda a imprensa, através de seu novo gabinete de comunicação (que é o mesmo de Messi), que estava aproveitando o tempo para intensificar um plano físico, com objetivo de recuperar seu melhor nível e, assim, triunfar no Barcelona. Ele trabalhava por conta própria com novos preparadores, nutricionistas e estava até aprendendo catalão, uma deferência certamente populista e que confirmava que ele estava tentando mudar sua imagem perante torcida e dirigentes", contou.

"Futebolisticamente, porém, ele já havia entrado em uma fase intermitente, com críticas à sua falta de verticalidade, e um déficit físico que o impedir de terminar as partidas. Havia ocorrido um evidente estancamento", citou.

"E, fora de campo, a coisa ia ainda pior. Ele era perseguido pela má fama que foi criada quando deu uma 'escapada' até Paris para ir à feste de seu amigo Neymar. Os rumores foram aumentando em sua 2ª temporada, destancando sua prática de snowboard enquanto ele se recuperada de uma lesão no púbis, cuja origem, segundo diziam de modo sarcástico, não estava relacionada ao futebol, mas sim a outras 'atividades...'", ironizou.

O jornal diz que, por essa soma de fatores, a saída de Arthur foi bem vista pela diretoria do Barça para dar fôlego ao caixa e também se livrar de um jogador que depecionava mais do que alegrava.

"Asfixiada pela falta de recursos, sendo impossível vender Rakitic, apesar das muitas tentativas, e hipotecada pelos contratos monstruosos (em duração e valores) das 'vacas sagradas' do elenco, o clube escolheu Arthur para enxugar parte do déficit do ano fiscal 2019/20. E a maneira como a mensagem chegou a Arthur não importou nem um pouco à diretoria", afirmou.