<
>

Como Copa do Nordeste quer ser 'protótipo' para Brasileiro e até ajudar clubes a se reforçarem no futuro

A Copa do Nordeste está voltando. Paralisada desde 15 de março, a competição retorna a partir desta terça-feira para a conclusão da última rodada pendente antes da fase final. A previsão é que o torneio se encerre no começo de agosto, pouco antes do início do Campeonato Brasileiro.

No retorno, a "Lampions League", apelido abraçado pela organização, acontecerá em sede única, na Bahia, e quer ser um "protótipo" para a Série A. Em entrevista exclusiva ao ESPN.com.br, Alexi Portela Jr., diretor superintendente da Copa do Nordeste, esclareceu todas as dúvidas para o retorno do torneio em meio à pandemia do novo coronavírus.

Entre outras coisas, o dirigente também comentou sobre o futuro da competição e o impacto da Medida Provisória 984, que altera os direitos de venda das transmissões no futebol brasileiro, para o torneio nordestino.

O primeiro jogo da Copa do Nordeste com transmissão dos canais Fox Sports acontece nesta quarta-feira, às 20h (horário de Brasília), entre Sport x Confiança.

Leia abaixo a entrevista, na íntegra, com Alexi Portela Jr.:

ESPN: Qual o plano para a retomada da Copa do Nordeste?

Alexi Portela Jr.: Todo mundo foi pego de surpresa [pela paralisação]. Estávamos na última rodada da primeira fase. Nós postergamos o adiamento para ver se realmente daria para fazer o último jogo, mas foi exatamente na semana que tudo parou, então não deu. Eu sabia que isso tudo poderia demorar um pouco para passar, mas estamos fazendo essa última rodada agora.

Quando as coisas começaram a demorar, nós avaliamos e achamos que seria difícil voltar da maneira tradicional da competição, então começamos a pensar em uma sede única. Discutimos com os clubes e isso foi aprovado de maneira unânime. Sabíamos que tínhamos uma data adiante, 8 de agosto, do início das competições nacionais, e nós queríamos terminar a competição antes disso, porque, do contrário, perderíamos o brilho ao realizar as finais no meio do campeonato nacional. A Bahia foi o primeiro estado a ter jogos liberados e, de imediato, começamos a planejar todo o protocolo de segurança junto com a CBF, a prefeitura e o governo do estado – tudo aquilo que seria seguido a fim de retomar a competição.

ESPN: Quais são os protocolos para o retorno do campeonato?

AP: Vamos seguir todo o protocolo que a CBF vai usar no Campeonato Brasileiro. Logo, o protótipo do Brasileiro será a Copa do Nordeste. Inclusive, a CBF vai mandar alguns representantes para acompanhar os jogos.

Teremos totens com álcool-gel nos bancos de reserva, vamos higienizar as bolas, os gandulas também terão álcool-gel.

ESPN: Os jogadores ficarão juntos durante o jogo?

AP: Ficarão separados, os que estiverem no banco ficarão em cadeiras, longe uns dos outros.

ESPN: E antes dos jogos, como será?

AP: O ABC e o River, por exemplo, já estão em Salvador, em hotel, com um andar para cada – isolados. Eles não têm contato com ninguém. Saem para o treino e voltam para os seus andares, sem contato com o pessoal do hotel. E nós vamos fazer isso com todos os times.

Eles ficarão isolados até a saída da competição. Ou seja, virão 14 times para as partidas de quarta-feira (22), depois dessa partida ficam apenas oito, e assim sucessivamente. A partir do momento que chegarem em Salvador, todos eles ficarão isolados nos seus andares dos hotéis.

ESPN: Onde a competição será concluída?

AP: Não terá nenhum jogo na Fonte Nova. O governo não liberou porque lá tem um hospital para COVID-19. Então os jogos acontecem em Pituaçu, Barradão, CT Praia do Forte, Joia da Princesa, Arena Cajueiro e Valfredão.

Como é a última rodada, os seis jogos têm que acontecer no mesmo horário para um time não saber o resultado do outro.

A tendência é que o Barradão e o Pituaçu sejam mais usados posteriormente. Assim como o CT Praia do Forte, porque tem um estádio muito bom. Como não terá público nem nada e é um lugar bem arejado, pretendemos usar também.

ESPN: Qual o calendário da competição? O regulamento para a fase final será o mesmo de outras edições?

AP: A última rodada será concluída terça e quarta-feira (21 e 22); as quartas de final acontecem no sábado (25) e as semis serão nos dias 28 e 29. Seguindo o mesmo regulamento, as quartas e semis serão realizadas em jogos únicos, e a final terá duas partidas,uma no dia 1º e outra no dia 4 de agosto.

Pretendemos usar dois ou três estádios nas quartas, nas semis estamos estudando um ou dois – assim como na final. Como tudo ocorre no mesmo lugar, não teremos mando de campo na decisão, desta forma a regra de gol fora de casa não se aplica. Caso ocorra empate em 1 a 1 na ida e 2 a 2 na volta, iríamos para os pênaltis, por exemplo.

ESPN: Como você avalia a Copa do Nordeste? Ela pode ocupar o lugar dos estaduais?

AP: Não só a liga como todos os clubes acham que a Copa do Nordeste é a principal competição da região. A liga não está querendo acabar com os estaduais. Estamos sugerindo a todos os clubes o que fizeram Bahia e Vitória neste ano: essas equipes disputaram o Campeonato Baiano com os times sub-23 e as equipes principais disputaram a Copa do Nordeste. É uma pena que, com essa paralisação, eles desfizeram as equipes sub-23 porque não tinha como mantê-las. Mas a tendência é essa, você ter os estaduais para revelar jogadores e realizar testes. É isso que queremos, que todos os estados trabalhem assim. Desta forma, um não atrapalha o outro; teve dias que Bahia e Vitória jogaram no mesmo dia pelos dois campeonatos. E pensamos até em fazer uma segunda divisão da Copa do Nordeste no futuro.

É um jeito de você arranjar dinheiro para os clubes do Nordeste para montarem um time, a partir até do primeiro semestre, um pouco mais encorpado para disputar os torneios nacionais. O que acontece hoje é que a maioria dos clubes não investem no primeiro semestre e deixam para o segundo, quando acontecem os nacionais. Então se você tiver uma receita extra no primeiro semestre para trazer um jogador mais caro, pode ser importante.

ESPN: O que você acha do apelido 'Lampions League'?

AP: Acho muito interessante. Porque só quem vive esses jogos entende. Tivemos finais nos últimos anos excepcionais, que pararam as cidades. São partidas que movimentam muito o Nordeste. Nós gostamos sim do apelido.

ESPN: Como a transmissão da Copa do Nordeste pode contribuir com a competição?

AP: Para nós, é um prazer ter tanto a ESPN, quanto a Fox transmitindo a competição (Nota da redação: os direitos de transmissão do torneio são dos canais Disney). Mostra importância dela, que não é vista só no Nordeste, mas no Brasil todo. Então a gente fica muito feliz com esse interesse. Com isso trazemos mais patrocinadores e receita para os clubes da região. Além dos canais de TV a cabo, o SBT transmite a Copa em TV aberta no Nordeste e a LiveFC faz streaming de todos os jogos, assim como o canal oficial da competição no Youtube.

ESPN: Qual o impacto da Medida Provisória 984, dos direitos de transmissão, para o Nordeste?

AP: Nós assinamos um manifesto aprovando a MP. É justamente isso que a liga faz hoje, negocia os direitos em grupo. Todo o dinheiro é dividido entre os clubes, nós analisamos o arrecadado com patrocínios e com TV e fazemos uma reunião com todos os clubes participantes da competição para distribuir a receita. Isso é feito sem brigas. Acho uma medida democrática. Os clubes que definem o que fazer com esse dinheiro.

ESPN: Como está a situação para as próximas edições da Copa do Nordeste?

AP: Temos um contrato com a CBF até 2022. Já pedimos a prorrogação disso e a CBF garantiu que a competição não acaba no ano em questão. E a gente precisa mesmo dessa garantia de continuidade para negociar com patrocinadores e com os detentores de direitos de imagem. Com a saída da Turner, foi assinada a rescisão e temos uma parte da receita garantida até 2022.

Já tínhamos a ideia de aumentar o número de datas também, mas não sei se isso será possível já na próxima edição com o calendário apertado causado pela pausa. Queríamos mais duas datas, no mínimo, que seria a realização de dois jogos de quartas e semifinais, fases de jogos únicos atualmente.