<
>

Barcelona: Jornal recorda 'escapadas' de Piqué e Arthur e diz que código interno criado por Guardiola 'não dá sinais de vida' no vestiário

play
Com Messi de modelo, Barcelona lança oficialmente sua nova e polêmica camisa (0:12)

Clube divulgou fotos do novo uniforme para a temporada 2020-21 | via @FCBarcelona (0:12)

Em uma coluna no jornal espanhol "AS", o jornalista Javier Miguel relata casos de indisciplina no vestiário do Barcelona.

Curiosamente, ele lembra que em 2008, por conta das experiências ruins com as 'noitadas' de Ronaldinho Gaúcho e Deco, Pep Guardiola criou um código interno de comportamento. Esse documento foi entregue a todos os jogadores, dizendo como eles teriam que agir dentro e fora das instalações do clube.

Segundo o jornalista, algumas regras diziam que jogadores não poderia sair para a noite 48h antes dos jogos e teriam que voltar até 1h da manhã.

A saída de Guardiola, porém, fez crescer os casos de indisciplina, relata o jornalista. "O recorde foi para Gerard Piqué. O volume de multas foi tão grande que passaram a utilizar o dinheiro para celebrar as comidas do elenco e destiná-lo a projetos solidários de ONG", escreve.

"Com a chegada de Ernesto Valverde, a rigidez das multas deu lugar ao senso comum. O técnico era mais partidário do diálogo do que do castigo, mas se a fórmula funcionou nas duas primeiras temporadas, na última deu claros sinais de esgotamento, com a 'escapada' de Arthur para fazer snowboarding na Andorra e a ausência de Dembelé em um treino sem avisar", completa o jornalista.

Ele ainda escreve que com Quique Setién, o código interno "segue sem dar sinais de vida", citando os casos de indisciplina no elenco e que o técnico não tem controle do vestiário..