<
>

São Paulo tri da Libertadores, 15 anos - Domínio da base, reforços 'de graça' e pouco dinheiro: como foi a montagem do elenco campeão

play
Ceni, Danilo, Lugano, Amoroso... Souza tenta responder quem foi principal jogador do tri do São Paulo na Libertadores (0:58)

Souza foi o convidado do SportsCenter no aniversário de 15 anos da conquista (0:58)

O São Paulo comemora nesta terça-feira, 14 de julho, o aniversário de 15 anos da conquista da Copa Libertadores da América. Foi o terceiro título tricolor, que, após bater Newell's Old Boys em 1992 e Universidad Católica em 1993, goleou o Athletico-PR por 4 a 0 para confirmar o troféu em 2005. Os gols foram de Amoroso, Fabão, Luizão e Diego Tardelli.

No especial sobre o título*, o ESPN.com.br já contou histórias de bastidores, trouxe lembranças de Rogério Ceni e Amoroso, além dos curiosidades sobre a montagem daquele time. Agora, chegou a vez de falar como cada um dos 28 jogadores campeões chegou ao Morumbi.

Para montar aquele time histórico, a diretoria são-paulina desembolsou um total de R$ 5,16 milhões, valor pequeno para a época e ínfimo no mundo atual do futebol. O curioso é que tal quantia foi por apenas quatro jogadores, sendo apenas um titular absoluto. Os gastos foram os seguintes:

  • Diego Lugano, zagueiro - R$ 560 mil ao Nacional em 2003

  • Alex Bruno, zagueiro - R$ 800 mil ao Santo André em 2004

  • Vélber, meia - R$ 800 mil ao Paysandu em 2004

  • Roger, atacante - R$ 3 milhões à Ponte Preta em 2005

Portanto, dos 28 jogadores que participaram do título, em campo ou meramente entre os inscritos, 24 chegaram ao clube "de graça". A lista inclui revelações das categorias de base e também reforços a custo zero, a partir da política de acertar com atletas em fim de contrato ou que estivessem desvinculados via Justiça.

O São Paulo fez, ao todo, 15 contratações. O primeiro foi Roger, goleiro que ficou marcado por ser reserva de Ceni em boa parte da carreira e chegou ao Morumbi em 1997.

Titulares da campanha, os laterais Cicinho (Atlético-MG) e Júnior (Parma), o zagueiro Fabão e o meia Danilo (ambos do Goiás) foram contratados em 2004, assim como o terceiro goleiro Flávio Kretzer (Avaí), o meia-atacante Jean Carlos (da Ponte Preta e que saiu durante a campanha) e o atacante Grafite (também Goiás), fora da reta final por uma grave lesão no joelho.

No ano seguinte, a incansável dupla Mineiro (São Caetano) e Josué (Goiás) foi adicionada ao elenco, assim como os atacantes Amoroso (Málaga, da Espanha) e Luizão (Botafogo), o lateral-direito Michel (ex-Santos e Grêmio) e Falcão, estrela do futsal que fez apenas uma partida na Libertadores e rescindiu contrato logo após o título paulista.

Completam o elenco os revelados na base. A fila é puxada por Rogério Ceni, no clube desde 1990, e passa pelos zagueiros Edcarlos e Flávio Donizete, o lateral Fábio Santos, os volantes Ale, Daniel Rossi e Renan, o meia Marco Antônio e o atacante Diego Tardelli, autor do último gol da campanha.

Foi assim, com recursos limitados, que o São Paulo conseguiu montar o time capaz de vencer a Libertadores com apenas uma derrota em 14 jogos. Foram nove vitórias e quatro empates ao longo da trajetória, sob comando de três treinadores: Emerson Leão, Milton Cruz (interino em uma partida) e Paulo Autuori.

Veja a campanha abaixo

PRIMEIRA FASE

  • The Strongest 3 x 3 São Paulo

  • São Paulo 4 x 2 Universidad do Chile

  • Quilmes 2 x 2 São Paulo

  • São Paulo 3 x 1 Quilmes

  • Universidad do Chile 1 x 1 São Paulo

  • São Paulo 3 x 0 The Strongest

OITAVAS DE FINAL

  • Palmeiras 0 x 1 São Paulo

  • São Paulo 2 x 0 Palmeiras

QUARTAS DE FINAL

  • São Paulo 4 x 0 Tigres

  • Tigres 2 x 1 São Paulo

SEMIFINAL

  • São Paulo 2 x 0 River Plate

  • River Plate 2 x 3 São Paulo

FINAL

  • Athletico-PR 1 x 1 São Paulo

  • São Paulo 4 x 0 Athletico-PR

*Esta reportagem é a sétima da série de conteúdos especiais que o ESPN.com.br publicou de 19 de junho até este 14 de julho, sobre a conquista da Libertadores pelo São Paulo em 2005.