<
>

Técnico da Atalanta se revolta com pênaltis para a Juventus: 'Devemos arrancar os braços dos jogadores?'

O técnico da Atalanta, Gian Piero Gasperini, ficou revoltado com os dois pênaltis marcados contra sua equipe no empate por 2 a 2 com a Juventus, neste sábado, pelo Campeonato Italiano.

Os dois lances foram muito parecidos: em ambos a bola bateu na mão de atletas nerazzurri (o 1º em De Roon, o 2º em Muriel) e o árbitro marcou as penalidades sem nem conferir o VAR.

Para Gasperini, esse tipo de pênalti só é marcado na Itália, o que está prejudicando muito o futebol do país.

Em tom de bastante ironia e deboche, ele deu forte entrevista após a partida e seguiu suas reclamações.

"O regulamento é este... Na Itália, sobretudo. O que querem que a gente faça? Devemos arrancar os braços dos jogadores?", questionou, irritado.

"Quem coloca os braços nas costas são as crianças, quando estão aprendendo a drilar... Não é preciso mudar o modo de defender. Custa ter uma interpretação igual aos outros campeonatos do mundo?", seguiu.

"Se nos outros lugares do mundo não se interepreta (os pênaltis) dessa maneira, por que aqui (na Itália) fazemos assim?", completou.

Caso tivesse vencido, a Atalanta pularia para o 2º lugar da tabela e ficaria a apenas 6 pontos da Juve, o que permitiria sonhar com o inédito Scudetto.

No entanto, os dois pênaltis convertidos por Cristiano Ronaldo deixaram um gosto amargo para os visitantes, que seguraram a vitória até os 45 do 2º tempo.

"Saio desta partida muito contente pelo que o time demonstrou, mas infeliz de não ter vencido, ainda mais que seguramos a vantagem até poucos minutos do fim", lamentou Gasperini.