<
>

A Zico, Daniel Alves lembra 'canetas' em CR7, Messi e Neymar e conversa para evitar 'loucura' no São Paulo

O lateral Daniel Alves, do São Paulo, bateu um papo mais descontraído com Zico e, ao relembrar momentos marcantes na Europa, acabou falando das famosas “canetas” que deu em Lionel Messi, Cristiano Ronaldo e até mesmo no amigo Neymar.

“Eu sempre zoo com isso e falo para os caras: todos os melhores do mundo, todos que brigam para ser melhor do mundo, já levaram caneta minha! O Ney no treino, Cristiano no jogo e o Messi no jogo também, quando eu estava no Sevilla”, disse Daniel Alves ao canal do Zico no YouTube.

Mas o são-paulino lembrou para o ídolo do Flamengo que muitas vezes foi vítima: “É normal. Os caras também te driblam pra caramba. Acho que é do jogo. Não é nada muito especial, não. Especial é ganhar título”.

Daniel Alves também avaliou sua passagem atual pelo São Paulo, onde busca ser campeão para manter uma tradição. Ganhou troféus em todos os clubes que defendeu. Ainda não conseguiu e admitiu que teve dificuldades no início.

“Os caras quase que exigiam que eu pegasse a bola, batesse o tiro de meta para mim mesmo, driblasse todo mundo, driblasse o goleiro dos caras e fizesse o gol. Eu disse: ‘Desculpa, mas vocês estão equivocados’. Sou um jogador de otimizar quem está ao lado. Sou jogador de servir, de construir e armar”, disse o jogador.

Naquele momento, Daniel Alves revelou que sentiu que precisava ter um papo sério com os dirigentes para que não fizessem uma loucura. Vale lembrar que a diretoria foi muito criticada pelo investiento no jogador (ele recebe mensalmente R$ 1,5 milhão).

“Eu falei pra eles: ‘Cara, se você me colocar num time que não está acostumado a jogar coletivo, de lateral direito, estão cometendo uma loucura com vocês mesmos’. Como faz um investimento num jogador que pode ajudar tua equipe ser muito melhor, equilibrada, gerar mais jogo e mais ocasiões de gol, e você coloca ele só numa parte desse tamanho do campo? Disse: ‘Agora, você começa a duvidar do que tinha na mente, se duvidou vai fazer besteira. Se duvidou de como vai fazer para conquistar seus objetivos, apaga e vamos todos para casa’”, disse Alves.

O jogador chegou ao São Paulo após ser campeão da Copa América do ano passado, quando o técnico era Cuca. Ele estreou rodeado de expectativa, mas o desempenho ficou aquém e os resultados não ajudaram.

Cuca acabou entregando o cargo, e a diretoria contratou Fernando Diniz. O começo do trabalho dele foi instável, mas a equipe estava se acertando no Campeonato Paulista deste ano. Daniel Alvez usou toda a bagagem de Sevilla, Barcelona, Juventus e Paris Saint-Germain para analisar o momento do time e, inclusive, as diferenças com a Europa.

“Com todo respeito aos companheiros, mas acredito que no entendimento de futebol e psicológico eu estou à frente dos meus companheiros. Pela experiência, estou acostumado a conhecer diferentes campeonatos. Ao chegar ao Brasil, eu vi que o campeonato a nível técnico é um dos mais difíceis, mas a nível tático e de jogo coletivo não é. Fica para trás de todos os lugares que passei. O que vai diferenciar a nossa equipe é que o nosso treinador está conseguindo fazer as pessoas entenderem que o nosso jogo coletivo vai destacar todos individualmente”, disse.

Ainda na mesma ideia, Daniel Alves colocou o São Paulo no mesmo nível do Flamengo.

“Se as pessoas no contexto geral começarem a comprar --a torcida, a equipe, a direção e os jogadores-- o projeto que o Diniz traz com seu estafe, tenho certeza que o São Paulo vai voltar a ser o que era e vai encantar outra vez seus torcedores. Acredito que hoje é a equipe que melhor joga, junto ao Flamengo. Pelo destaque individual que o Flamengo tem ele é mais letal. Mas hoje no futebol brasileiro são as duas melhores equipes”, disse Daniel Alves para Zico.