<
>

Com fim de acordo salarial nesta terça, Palmeiras negocia novos termos com elenco

O acordo de redução salarial do elenco do Palmeiras termina oficialmente nesta terça-feira, último dia de junho. Ainda sem data definida para retomar os campeonatos, paralisados pela pandemia de COVID-19, o clube alviverde vem negociando novos termos com os jogadores.

O técnico Vanderlei Luxemburgo e o zagueiro Felipe Melo, capitão do time, participaram das negociações que culminaram com o primeiro acordo.

A ideia da diretoria encabeçada por Maurício Galiotte é seguir a mesma linha e buscar uma solução pactuada, sem imposição de cima para baixo.

Para sustentar sua posição nas tratativas com os jogadores, o Palmeiras planeja argumentar com um estudo técnico, baseado nos impactos da pandemia de COVID-19 sobre as finanças do clube e também no cenário que pode se desenhar em um futuro breve.

Sem jogar desde o último dia 14 de março, data do empate contra a Inter de Limeira, pela 10ª rodada do Campeonato Paulista, o Palmeiras, obviamente, perdeu receita de bilheteria e do programa Avanti. Por outro lado, seguiu com apoio inalterado da Crefisa/FAM.

O primeiro acordo, válido até terça-feira, estabeleceu redução de 25% nos salários dos jogadores registrados em carteira.

Além dos atletas, o técnico Vanderlei Luxemburgo, o gerente Cícero Souza e o diretor Anderson Barros também foram enquadrados na medida.

A proposta incluiu ainda a postergação dos pagamentos de direitos de imagem dos atletas: os de abril serão divididos de agosto a dezembro de 2020, enquanto os de maio serão divididos entre janeiro e junho de 2021.

Ao anunciar o acordo, o Palmeiras avisou que as medidas seriam avaliadas de forma recorrente, algo que vem sendo feito.