<
>

Ex-zagueiro do Flamengo que foi comandado por Jorge Jesus no Benfica diz: 'Acho difícil voltar ao Brasil'

Com contrato até o final da temporada na Europa com o Santa Clara, de Portugal, César Martins tem o futuro ainda indefinido. O zagueiro de 27 anos ainda não sabe se irá renovar o vínculo com a equipe que disputa a primeira divisão portuguesa ou se irá para outro clube. O ex-defensor de Flamengo e Ponte Preta acha difícil um retorno ao Brasil.

O brasileiro, que já foi comandado por Jorge Jesus no Benfica, fez 17 partidas na atual temporada pelo Santa Clara, que ocupa a nona posição do Português, com 38 pontos.

O próximo desafio da equipe dos Açores é contra o Marítimo, nesta sexta-feira (03/07), às 16h15 (de Brasília).

Veja a entrevista com César Martins:

Como tem sido para você desde que chegou ao Santa Clara?
No primeiro ano foi acho que foi a volta por cima que dei. Principalmente depois da situação que aconteceu com o presidente do Nacional-POR [que o criticou duramente] pude voltar a jogar bem e a fazer uma boa temporada. Fiz minha estreia como titular contra o Nacional na Ilha da Madeira quando vencemos por 3 a 0 e fiz um bom jogo. Foi uma temporada muito positiva para eu me firmar no clube e tirar aquela dúvida de todos que pensavam que eu não ia conseguir dar a volta por cima em Portugal. Pude fazer um bom campeonato.

E como tem sido a temporada atual para você?
Na temporada atual fiz alguns jogos, não estou jogando muito como eu queria e como foi na temporada passada. Mas nos jogos que entrei eu ajudei a equipe a conquistar os pontos e objetivo de permanecer na Primeira Liga e fazer história no clube.

Como foi a volta ao futebol para vocês?
Acho que nessa fase depois da pandemia tem sido muito especial para a gente. Éramos o único time invicto e foi algo bem bacana mesmo. Nós usamos a parada no Campeonato de forma positiva para ajustar algumas coisas que não estavam se encaixando e pudemos voltar mais fortes.

O que você destacaria da temporada?
Eu joguei contra Porto, Benfica, Braga e Vitória de Guimarães. O clube não ficava dois anos seguidos há muito tempo ou nunca ficou. A vitória [fora de casa] contra o Benfica foi especial porque o Santa Clara nunca tinha vencido. Foi muito importante. Seguimos a nossa luta, acho que já asseguramos a nossa permanência. Queremos fazer mais pontos que na temporada passada.

A vitória contra o Benfica foi um jogo maluco....
Começamos ganhando, eles viraram e a gente fez 4 a 3 no fim para conseguir a vitória. È sempre um jogo difícil. Já estive do outro lado e sei como é jogar a favor. Ano passado fiz um gol no Benfica no Estádio da Luz. Esse ano não joguei lá, mas pude contribuir cm meus companheiros do lado de fora.

Como está a sua situação contratual? Vai ficar ou vai sair?
Eu ainda não sei. A parada deu uma mexida muito grande no mercado, ainda não abriu e ninguém sabe como será a janela de transferências. Meu contrato termina no fim da temporada e não sei o que vou fazer. Preciso escutar algumas coisas do Santa Clara e saber se eles querem a minha permanência. Depois, vou decidir o que vou fazer.

A sua intenção é ficar em Portugal ou Voltar ao Brasil?
Voltar ao Brasil acho difícil. Sou muito feliz no Santa Clara, mas tenho primeiro que ouvir aqui. Tenho um carinho enorme porque foi um clube que abriu as portas para mim e acreditou no meu potencial.

Como é morar no Açores, que é longe do continente?
É uma ilha muito bonita e um lugar muito bacana. Eu nunca tinha ouvido falar antes dela. Quem tiver condições de vir ficará muito assustado com a beleza. Fica cerca de duas horas de avião do continente. Toda vez que vamos jogar temos que pegar duas horas de avião e depois mais algumas horas de ônibus dentro de Portugal.