<
>

Argentina bate recorde de casos de COVID-19 em um dia e nem pensa em volta do futebol

play
No Resenha, Mancuso fala sobre futura geração argentina: 'Camisa 10 acabou' (0:35)

Argentino foi o convidado do Resenha ESPN desta sexta-feira (12) (0:35)

A Argentina registrou 1391 novos casos de coronavírus na última sexta-feira, um recorde diário no país. Em meio a este cenário, o ministro da saúde, Ginés González García, descartou o retorno do futebol por enquanto.

“Não se pode pensar em habilitar o futebol, nem na Área Metropolitana de Buenos Aires, nem no resto do país, a curto prazo”, afirmou o político em conversa reproduzida pela Rede Argentina de Jornalismo Científico.

“Não vejo necessidade de que se volte a treinar no futebol competitivo. Não vejo por que há tanta ansiedade”, declarou.

Para efeito comparativo, o Brasil registrou 25.982 novos casos na última sexta, o que fez o país chegar a um total de 828.810 casos - foram 41.828 mortes confirmadas. Na Argentina, os números totais divulgados na sexta são de 28.764 casos confirmados e 785 mortes pela COVID-19.

O futebol argentino está paralisado desde março. A Superliga Argentina havia sido finalizada, mas a Copa da Superliga sequer teve a primeira rodada completa. A Copa Argentina estava na fase de 64avos de final.

Na Copa Libertadores, interrompida após a segunda rodada da fase de grupos, a Argentina tem cinco representantes neste estágio: Tigre, River Plate, Racing, Defensa y Justicia e Boca Juniors. Não há posição oficial da Conmebol sobre o retorno da competição.