<
>

Após tensão inicial, Paulista se prepara para voltar e espera aval do Governo para começar com treinos

play
Mauro Cezar: Treinar pra quê? Sim, na pandemia, desde que em segurança, jogadores de futebol precisam voltar aos treinos (3:04)

Comentarista dos canais ESPN falou sobre os treinos durante a pandemia do coronavírus (3:04)

O Campeonato Paulista está mais próximo de ser retomado, ainda que não tenha sido estabelecida uma nova data para treinos e jogos. Esse foi o resultado do encontro entre os 16 presidentes dos clubes do Estadual com o presidente da FPF (Federação Paulista de Futebol), Reinaldo Carneiro Bastos, por videoconferência, nesta sexta-feira (5).

Após quase três horas e meia de reunião, ficou acordado que a FPF fará uma consulta oficial ao Governo do Estado e as prefeituras das cidades dos clubes do Paulistão pela liberação dos treinos das equipes.

É importante explicar que o aval municipal tem peso importante para o que for estabelecido. Isso porque o governador João Doria (PSDB) concedeu autonomia aos prefeitos para que eles avaliem o que é melhor para suas cidades. Os efeitos da pandemia do novo coronavírus têm afetado de forma diferente os municípios (leia mais abaixo).

Também ficou acertado que na próxima terça-feira (9), às 11h (de Brasília), será feita nova reunião entre os dirigentes para apresentar a resposta dos órgãos oficiais. A partir daí deve se ter uma definição para a liberação dos treinos e consequentemente da retomada dos jogos da competição. A expectativa é que haverá flexibilização para os clubes retomarem as atividades.

Um dia antes, na segunda (8), o comitê médico da FPF, liderado pelo doutor Moisés Cohen, vai debater com os médicos dos 16 clubes o melhor protocolo de saúde a ser seguido na fase de treinos. A proposta é aplicar testes em todos os profissionais, com retomada gradual dos treinamentos, iniciando com atividades individuais e em ambientes abertos.

“Foi uma reunião longa e se avançou pouco perto da expectativa criada porque dependemos de autorização dos órgãos públicos, como Governo do Estado e Prefeituras, para voltarmos a treinar. Depois teremos um prazo a ser determinando no novo encontro para a preparação dos jogadores antes do campeonato voltar. Terça-feira vamos conversar de novo. Talvez saia uma definição”, disse Sidney Riquetto, presidente do Santo André, clube de melhor campanha no Estadual, para a reportagem.

O início da reunião foi reservado para que o Red Bull Bragantino apresentasse justificativas para ter retomado os treinos antes dos demais clubes do Paulistão. A equipe se reapresentou na terça-feira (2) em seu centro de treinamento, contrariando um pacto verbal entre os 16 clubes. O combinado em 4 de maio é que todos voltariam ao mesmo tempo.

Apesar de alegar ter autorização da prefeitura de Bragança Paulista, o ato pegou mal entre os dirigentes paulistas.

De acordo com o jornalista Jorge Nicola, Ferroviária, Mirassol, Novorizontino e Oeste também se reapresentaram para treinos físicos nesta semana. Os três últimos disseram na reunião que aguardam por autorização.

Segundo as secretarias estaduais de Saúde, o Brasil apresentava até o final da manhã desta sexta 34.072 mortes por COVID-19, 618.554 casos confirmados e 254.963 recuperados. Na quinta, o país passou a Itália e tornou-se o terceiro no mundo com mais óbitos causados pela doença.

O Estado de São Paulo é o pior da federação. São quase 9.000 mortes e 124 mil casos registrados. Dos 645 municípios, a capital paulista é a pior: quase 5.000 óbitos e mais de 73 mil casos.

O Campeonato Paulista teve seu último jogo em 16 de março, quando o Guarani derrotou a Ponte Preta por 3 a 2, no Brinco de Ouro da Princesa, em Campinas, sem público. No dia seguinte, todas as divisões do Estado foram paralisadas por causa da pandemia do novo coronavírus.

Faltam duas rodadas para concluir a fase de classificação e iniciar o mata-mata. Apenas Red Bull Bragantino e São Paulo estão classificados para as quartas de final. Em termos de rebaixamento, a disputa está aberta, com Ponte Preta (7 pontos) e Botafogo (8) ameaçados de queda.

Dos grandes, Palmeiras e Santos estão com a presença nas quartas bem encaminhada, com 15 e 19 pontos, nos Grupos A e B, respectivamente. Já o Corinthians é o terceiro na Chave D, com 11 pontos, cinco atrás do Guarani, com chance de se classificar e também risco de cair.