<
>

Traído enquanto jogava golfe: lenda holandesa lembra como foi demitida do Chelsea

play
Resenha: Willian relembra histórias de Mourinho no Chelsea e 'imita' treinador de forma hilária (1:06)

Brasileiro chegou aos Blues enquanto o time era comandado pelo treinador português (1:06)

Ruud Gullit revelou por que ele ainda não perdoou um de seus ex-treinadores pelo papel que desempenhou em sua partida do Chelsea.

O holandês desembarcou em Stamford Bridge como jogador há 25 anos, assinando com a equipe de Glenn Hoddle em uma transferência gratuita após um período brilhante na Itália com o Milan e a Sampdoria.

Ele foi uma das primeiras grandes estrelas estrangeiras a chegar à primeira divisão inglesa, mas passaria apenas um ano como jogador antes de assumir como técnico.

Na primeira temporada como treinador, Gullit levou o Chelsea ao sexto lugar na Premier League e venceu a FA Cup.

Ele contratou Gianfranco Zola, que se tornaria um dos maiores ídolos dos Blues, e também trouxe Gianluca Vialli, Roberto Di Matteo e Frank Leboeuf.

Em fevereiro de 1998, seis meses após a segunda temporada de Gullit no comando, o clube estava em segundo na tabela e nas quartas de final da Copa dos Campeões da Europa.

No entanto, as coisas rapidamente azedaram quando o ex-meio-campista holandês foi demitido do nada

Em uma coluna que fez para a BBC sobreo seu tempo em Stamford Bridge , Gullit revelou que estava em negociações para contratar Jaap Stam, do PSV Eindhoven, e Brian Laudrup, do Rangers.

Veja o trecho sobre a demissão:

"Um dia antes de ser demitido, eu estava jogando golfe com um de meus treinadores, Gwyn Williams, e alguns jogadores, Franco [Zola] e Kevin Hitchcock. Eu estava tentando entrar em contato com Laudrup durante a nossa rodada, mas não consegui encontrá-lo, o que foi estranho.

Acontece que Gwyn, que era um dos meus melhores amigos, sabia exatamente o que estava acontecendo e que eles me demitiriam. Ele estava apenas jogando golfe comigo para me manter longe, para garantir que eu não fosse a nenhum dos lugares onde Laudrup estava.

Ser demitido foi uma experiência horrível e não havia razão para fazer o que eles fizeram.

Foi a pior coisa que alguém já fez comigo, na minha carreira ou na minha vida. Essa foi a maior decepção e eu não posso perdoá-lo por isso, eu realmente não posso. "