<
>

Governo da Espanha avalia permitir volta do público aos estádios ainda na temporada 2019/20 de LaLiga

play
André Linares informa: volta de público em LaLiga, acordo entre Barça e Lautaro e mais (1:47)

O Barcelona teve cinco jogadores do elenco principal e dois treinadores testando positivo para a COVID-19, segundo informou a rádio catalã RAC1. Todos já estão recuperados e livres do vírus. (1:47)

O Governo da Espanha não descarta que os jogos de futebol no país possam voltar a ter público ainda na temporada 2019/20.

Inicialmente, as partidas acontecerão com portões fechados, mas os órgão públicos seguirão monitorando a situação para avaliar se será permitida a entrada de fãs nas arenas.

"O Ministério se comprometeu a fazer uma avaliação periódica dos riscos. E, caso a gente consiga chegar à fase 3 (de reabertura pela pandemia de COVID-19), se pudermos fazer (jogos com público), faremos", disse o diretor do Centro de Coordenação de Alertas e Emergências de Saúde, Fernando Simón, nesta terça-feira.

A fala de Simín ocorreu em uma conferência virtual com o ministro da Saúde da Espanha, Salvador Illa, e a secretária do Esporte, Irene Lozano, em encontro que ainda contou com vários jogadores, como Gerard Piqué, do Barcelona, Dani Carvajal, do Real Madrid, e Koke, do Atlético de Madrid.

Também foi informado que as cidades de Madri e Barcelona, que foram as cidades mais afetadas pelo coronavírus, poderiam entrar na fase 3 de reabertura em 22 de junho, a oito rodadas do fim de LaLiga.

Segundo o jornal El País, porém, não deve haver tanto otimismo com relação aos portões abertos.

De acordo com fontes do Governo, a volta dos fãs às aos campos só será autorizada quando todas as comunidades da Espanha estejam na mesma fase de reabertura, de forma que todos os clubes estejam com condições de igualdade.

Isso vai na contramão do que queria, por exemplo, Miguel Ángel Ramírez, presidente do Las Palmas, que chegou a dizer nos últimos dias que já queria ter partida com portões abertos logo na retomada do futebol na Espanha.