<
>

Quem é Luka Romero, o Messi Mexicano de 15 anos que não quer jogar pelo México

A volta de LaLiga após três meses de paralisação pode ter um atrativo a mais além do retorno do futebol na Espanha. No dia 13 de junho, o Mallorca recebe o Barcelona, no possível "duelo" entre Lionel Messi, o ídolo e consagrado craque do Barça, e Luka Romero, que já ganhou a alcunha de "Messi Mexicano".

O garoto tem 15 anos, é natural de Durango, no México, e uma das grandes apostas para o futuro do Mallorca, onde joga há cinco temporadas. Não à toa, depois de brilhar nas categorias de base com jogadas habilidosas e gols dignos de aplausos, Luka foi integrado ao elenco principal na segunda-feira passada. Ou seja, está à disposição para a volta do Campeonato Espanhol.

A semelhança de estilo com o camisa 10 do Barcelona anima quem já teve a chance de assistir a jogos de Romero. Canhoto, ele costuma jogar na mesma faixa do campo e, como Messi fazia nos seus primeiros passos no futebol, também acumula gols bonitos. Alguns, inclusive, estão em sua conta oficial de Twitter (veja dois abaixo).

Outra similiaridade com Messi é a escolha por defender a seleção argentina. Enquanto Lionel teve a oportunidade de atuar pela Espanha, já que foi para a Europa logo aos 13 anos, Luka Romero teve um leque maior de escolha.

São três nacionalidades: mexicano (onde nasceu, na época em que o pai, Diego Romero, jogava no Alacranes), argentino (por causa da família) e espanhol (já que mudou-se para a Europa com dois anos). Apesar das possibilidades, Luka sempre deixou claro o seu desejo.

"Toda minha família é argentina. Meu sonho é vestir a camisa albiceleste", comentou o garoto, em entrevista publicada pelo site da Associação de Futebol Argentino (AFA), em julho de 2018.

O sonho de defender a seleção aconteceu no Sul-Americano Sub-15, em novembro de 2019.

"Tive a sorte de poder jogar o Sul-Americano pela Argentina e me dei conta de que, com esforço, os sonhos se realizam", disse Luka, que anotou dois gols na campanha que levou a seleção ao vice-campeonato, após derrota para o Brasil nos pênaltis.

A promessa tem contrato com o Mallorca até 2023, uma estratégia para proteger o clube de perder um talento como ele tão cedo. Mas, se repetir no time principal o mesmo futebol apresentado na base, fica difícil imaginar que o "Messi Mexicano" não alçará voos maiores em breve.