<
>

'Ninguém é Imperador à toa; ele está um passo à frente': ex-Corinthians conta o quanto sofreu com Adriano nos treinos

play
Wallace relembra como era marcar Adriano nos treinos do Corinthians: 'Tomei uns dois ou três rolinhos...' (0:22)

Zagueiro falou que ninguem é chamado de Imperador à toa (0:22)

Em pouco menos de um ano, Adriano defendeu o Corinthians em apenas 7 partidas, marcando dois gols - um, contra o Atlético-MG, fundamental para o título brasileiro do clube em 2011.

Sua passagem pelo clube paulista ficou marcada por uma séria lesão no tendão de Aquiles, que o deixou fora de combate por quase seis meses. Entretanto, se ele teve poucas chances de disputar partidas pelo Timão, nos treinos ele marcou seu nome.

"Ninguém é chamado de Imperador à toa", explica o zagueiro Wallace, que defendeu o Corinthians entre 2011 e 2012, remetendo ao apelido do atacante que marcou época na Inter de Milão e recebeu tal designação.

"Ele é diferente, né. Tomei umas duas ou três canetas... Ele está um passo na sua frente", conta o defensor ao relembrar de treinos nos quais ele tinha a árdua missão de parar Adriano.

Wallace ainda conta que lembra muito bem do quanto sofreu com o Imperador, de 1,89 metro de altura, nos coletivos: "Ele é um monstro de forte. Eu, que não sou um dos caras mais fortes que tem, passava vários apuros para marcá-lo".

play
0:22

Wallace relembra como era marcar Adriano nos treinos do Corinthians: 'Tomei uns dois ou três rolinhos...'

Zagueiro falou que ninguem é chamado de Imperador à toa

Após sua passagem pelo Corinthians, Adriano teve contratos com Flamengo, Athletico-PR e Miami United, mas nunca mais conseguiu jogar em alto nível, e sem clube ele está desde 2016.