<
>

Presidente da Fifa se posiciona sobre manifestações contra racismo: 'Merecem aplausos, não punição'

play
Manifestações contra o racismo no futebol e o 'amor' de Messi com o Barcelona: os destaques de terça na Espanha (1:18)

De Barcelona, André Linares mostra as manchetes do dia (1:18)

O presidente da Fifa, Gianni Infantino, posicionou-se de maneira favorável às manifestações de jogadores de futebol pelo mundo contra o racismo. Os atos ficaram mais fortes desde a semana passada, quando o americano George Floyd morreu após ação da polícia de Minneapolis, nos Estados Unidos.

Em comunicado divulgado no site da entidade, Infantino parabenizou as manifestações de atletas, em especial os da Bundesliga.

"Para evitar qualquer dúvida, em uma competição da Fifa, as demonstrações recentes de jogadores em partidas da Bundesliga mereceriam aplausos, não punição", garantiu o presidente da Fifa.

"Nós devemos dizer não ao racismo e qualquer forma de discriminação. Nós devemos dizer não à violência. Qualquer tipo de violência", completou.

Nos jogos do Campeonato Alemão, atletas como Jadon Sancho, do Borussia Dortmund, e Marcus Thuram, do Borussia Mönchengladbach, prestaram homenagens a Floyd e também se posicionaram contra atos de racismo, dentro e fora do esporte.

Na esteira deles, clubes de futebol e muitos jogadores agiram, como com a frase "Vidas Negras Importam". Nesta terça-feira, o atacante Neymar, do Paris Saint-Germain e da seleção brasileira, foi um dos que aderiu à campanha.