<
>

Messi reflete sobre efeitos de pandemia: 'O futebol, como a vida em geral, não voltará a ser igual'

play
André Linares informa: volta de LaLiga e reflexão de Messi sobre a pandemia (1:05)

LaLiga anunciou neste domingo (31/05) o calendário detalhado das duas rodadas (28 e 29) que marcarão a volta do futebol no país após a parada por conta da pandemia do novo coronavírus (1:05)

Lionel Messi deu a entender que o futebol “não voltará a ser igual” depois da pandemia do coronavírus, ao participar de uma ampla reportagem publicada pelo El País Semanal junto a outras personalidades públicas como o tenista Rafael Nadal, o arquiteto Norman Foster, o chef Ferran Adrià ou o DJ David Guetta. O argentino lamentou pelas “muitíssimas pessoas que ficaram mal por causa do efeito desta situação, como aquelas que perderam familiares e amigos e quase sequer puderam se despedir deles”.

“Houve muitas coisas negativas nesta crise, mas não pode ter nada pior que perder as pessoas que mais ama, isso me cria uma frustração enorme e me parece o mais injusto de tudo”, disse o capitão do Barcelona, que estabeleceu que o futuro será diferente em todos os sentidos.

“O futebol, como a vida no geral, penso que não voltará a ser igual... Todos que vivemos esta situação recordaremos o que ocorreu de uma ou outra maneira”, declarou Leo, que em primeira pessoa mostrou seu agradecimento especial aos que lutam na primeira linha.

O jogador disse ter “um sentimento de pena e frustração para com aqueles que sofreram mais pela perda de seus entes queridos. E também com o agradecimento infinito a todas as pessoas que lutaram para combater o vírus nos centros de saúde”.

De um ponto de vista profissional, Messi deu como fato que o futebol “e o esporte em geral irão se ver afetados. Na parte econômica, porque há empresas que estão relacionadas com o mundo do esporte que talvez vão ter uma situação mais complexa depois do coronavírus. E na parte do desempenho profissional, porque a volta aos treinamentos, às competições e ao que antes se fazia de uma maneira normal, agora terá que implantar de novo, mas agora de maneira progressiva. Será uma situação estranha para nós atletas e para qualquer um que deva mudar suas dinâmicas habituais de trabalho”.