<
>

Palmeiras chega a acordo com Nacional, define data para pagar parcela de Viña e evita ação na Fifa

Em 21 de maio, o jornal Ovación, do Uruguai, revelou que o Nacional havia intimado o Palmeiras pelo pagamento de uma das parcelas da contratação do lateral-esquerdo Matías Viña, e que cogitava inclusive acionar a Fifa para resolver a questão.

No entanto, a questão foi resolvida entre as diretorias das duas equipes.

Segundo publicou primeiramente o Esporte Interativo e confirmou a ESPN, as partes chegaram a um denominador comum, e o Verdão prometeu quitar a parcela de março da negociação até o dia 15 de julho.

Os uruguaios, por sua vez, concordaram com os termos, e não há qualquer risco da questão ser levada à entidade máxima do futebol.

Viña foi contratado pelo Palmeiras no começo deste ano por 3,5 milhões de euros (R$ 16,5 milhões na época), que foram divididos em três parcelas.

Com contrato até o final de 2024, o lateral fez seis jogos na atual temporada.

ENTENDA A QUESTÃO

Em 26 de março, o Palmeiras fez um acordo com o Nacional para dividir a parcela de 1,5 milhão de euros que venceria naquele mês.

No acordo, as partes concordaram com o Verdão quitar 1 milhão de euros naquele dia, e mais 500 mil euros em abril.

O Alviverde pagou o 1 milhão de euros e, em abril, solicitou ao time uruguaio a renegociação do valor restante, pedindo para o montante ser pago no segundo semestre, devido à queda de receitas por causa da pandemia de coronavírus.

Inicialmente, o Nacional discordou, mas, após conversas entre as partes, ficou acordado o pagamento até 15 de julho, finalizando a questão.

Vale lembrar que o próprio Palmeiras já recebeu pedidos semelhantes de adiamento em situações nas quais é credor.

O Dínamo de Kiev, da Ucrânia, por exemplo, pediu renegociação do montante ainda a ser pago pelo volante Tchê Tchê, por exemplo, também por causa da crise da Covid-19.