<
>

Manchester United: Fred fala sobre os treinos, 'pensamentos ruins' na quarentena e brincadeira com De Gea

Depois de muita discussão, resistência de alguns atletas e uma dose de controvérsia, os clubes da Premier League voltaram a treinar nesta semana. A chamada Fase 1 obedece a um protocolo de distanciamento social e atividades sem contato, e espera ser o primeiro passo rumo ao retorno do Campeonato Inglês.

E para entender como está o clima dentro de um dos maiores clubes do mundo, a reportagem da ESPN conversou com Fred, do Manchester United. Que parece animado e confiante quando perguntado se ele se sentia seguro neste primeiro momento.

“O clube nos proporciona tudo pra termos essa segurança. Fizemos os testes antes, todos estavam bem, tem todos os protocolos que pedem pra gente fazer. Nos dá uma segurança para voltar aos treinos.”

“Acho que medo todo mundo vai ter. Mas a gente precisa aprender a lidar. Claro, no começo tem aquele receio de como vai ser essa volta, é diferente… Depois que eu cheguei lá, vi que estava bem tranquilo, é diferente. Você tem um espaço maior para o seu companheiro no estacionamento, e na hora que você chega tem que medir a temperatura. É tudo diferente, mas eu penso que ao longo dos dias, ao longo dos acontecimentos aqui a gente vai perdendo esse medo, esse receio, e a gente torce para que tudo possa dar certo.”

O capitão do Watford Troy Deeney não se sentiu seguro em voltar a treinar, e Kanté, do Chelsea, também pediu para não comparecer mais às atividades depois de ir ao Centro de Treinamentos do clube no primeiro dia.

“Aqui (no United) é bem aberta essa opinião. Se os jogadores não estiverem se sentindo bem, é da opinião do jogador. Mas todos aqui estão sentido falta. Essa quarentena é complicado para muitos. Ter que ficar só em casa às vezes é muito ruim para nossa cabeça. Prejudica a nossa mente, você pensa muitas coisas ruins. Por mais que sejam grupos pequenos de jogadores, você vai ter um contato legal, conversar com seu companheiro, saber como foi a quarentena dele, como está a família dele. Isso é importante.”

O Manchester United voltou aos treinos na quarta-feira, e as atividades aconteceram em grupos de quatro a cinco jogadores, sem qualquer tipo de contato. Na próxima quarta-feira, em uma reunião da Premier League com os 20 clubes, existe a possibilidade de ser colocada em votação a Fase 2, em que os treinos com contato seriam retomados.

“Estão todos ansiosos pra saber o que vai acontecer daqui pra frente porque a gente não sabe. Não sabemos data de jogos, se vai voltar ou não, se vamos voltar a treinar todos juntos, ainda não sabemos o que pode acontecer. Difícil chegar aqui falar que é contra ou a favor. O jeito é esperar e ver quais serão os acontecimentos, o que vai ser daqui pra frente.”

A pausa veio em um momento inoportuno especialmente para o Manchester United, que construía uma bela sequência de 11 jogos sem perder e boas exibições. O time é quinto na Premier League, disputava as oitavas de final da Europa League e estava classificado para as quartas de final da Copa da Inglaterra.

“Essa parada foi bem ruim pra nossa equipe. Mas faz parte. Eu particularmente fiquei treinando aqui, bem focado. Isso pra mim não foi férias, longe disso. Agora, se tiver que retomar o futebol, tentar retomar da melhor forma possível, ainda melhor de quando paramos.”

Fred, em especial, vem se destacando nesta temporada e recebendo elogios até de ídolos do clube. Peter Schmeichel disse em entrevista que o brasileiro é, na opinião dele, o melhor jogador dos Red Devils nesta temporada.

“Pra mim foi uma honra, uma felicidade imensa. Isso pra mim é gratificante. Até porque minha última temporada não foi tão boa, e agora eu fiz uma grande temporada, grandes jogos. Penso que foi uma volta por cima. E ter o elogio de um goleiro como o Peter… Do que ele representa para o United, pra mim foi muito importante.”

“Ainda brinquei com ele no Twitter, falei que ele era o melhor goleiro da história do Manchester United. O De Gea logo me ligou e falou ‘pô, eu estou aqui!’. (Risos) Brincadeiras à parte, fiquei muito feliz com isso.”