<
>

Unzelte descobre mais um jogo esquecido do Corinthians e 'devolve' gol 10 mil do clube a Dentinho

play
Após analisar últimos brasileiros campeões mundiais, Mauro afirma: 'Corinthians foi o que jogou mais' (1:33)

Linha de Passe relembrou os últimos três times do Brasil que chegaram ao topo do mundo (1:33)

Mais uma mudança na história do Corinthians. O jornalista e comentarista da ESPN Celso Unzelte voltou a achar mais um jogo perdido na história do clube e, com isso, as estatísticas mudaram mais uma vez, inclusive os gols históricos.

Em outubro de 2019, Unzelte já havia descoberto a vitória do Corinthians por 3 a 0 sobre a Esportiva de Guará, em 19 de setembro de 1920. Na ocasião, Dentinho "perdeu" o gol 10 mil da história do clube, que havia sido passado para Boquita, na vitória por 2 a 0 diante do Atlético-MG no Campeonato Brasileiro de 2009.

Nesta sexta-feira, Unzelte descobriu que o Corinthians entrou em campo no dia de natal de 1916, há 103 anos. Na ocasião, a equipe alvinegra venceu o Rio Claro por 3 a 2 em um amistoso, o que voltou a mexer nos números do clube. A coincidência? Dentinho recuperou o gol 10 mil, mas agora com outro tento.

Se o "primeiro gol 10 mil" de Dentinho havia sido contra o Botafogo no Brasileirão de 2009, agora passa a ser o tento diante do Vitória, em triunfo por 2 a 1 naquele mesmo campeonato.

Os outros gols históricos do clube também mudaram novamente. O gol 1000 passa a ser de Rato, na goleada por 7 a 0 sobre o Americano em 1927. Servílio anotou o 2000 na vitória por 4 a 1 sobre o Vasco, no Rio, pelo Rio-São Paulo de 1940.

O gol de número 3 mil é de Colombo, na vitória por 3 a 1 sobre o São Caetano em 1949. O gol 4 mil, agora, é um dérbi: Baltazar marcou na vitória por 2 a 1 sobre o Palmeiras em 1956. Ney anotou o 5 mil na vitória por 3 a 0 sobre a Prudentina, em 1962.

O gol 6 mil, que era de Rivellino contra o Palmeiras, passa a ser de Mirandinha na vitória por 2 a 0 sobre o Cruzeiro, em 1971. Casagrande herdou o gol 7 mil, anotado na vitória por 2 a 1 sobre a Ferroviária em 1982.

Por fim, o gol 8 mil passa a ser de Marcelo na vitória por 4 a 1 sobre o Noroeste, em 1993, e o gol 9 mil é de Fernando Baiano, no empate em 1 a 1 com o Nacional, do Uruguai, pela Copa Mercosul de 2000. Ainda temos o gol 11 mil, que agora é do zagueiro Gil no empate em 2 a 2 com o Athletico-PR em 2019.