<
>

'Amizades como a de Neymar fazem a cabeça se desviar do futebol': jornal analisa Arthur no Barcelona

play
Retorno de LaLiga, entrevista de De Jong e treinos do Real Madrid: André Linares atualiza as informações (1:16)

Direto da Espanha, correspondente dos canais ESPN traz as últimas notícias (1:16)

Em reportagem publicada nesta sexta-feira, o jornal catalão La Vanguardia mostrou como o Barcelona, desde o fim da "era Xavi & Iniesta", vem procurando "cérebros" para o meio-campo no futebol internacional, mas sem o sucesso esperado.

O diário dedicou diversas linhas à situação do brasileiro Arthur, comprado em 2018 do Grêmio por 31 milhões de euros.

Pouco após sua chegada, o volante foi apontado como uma "tacada de mestre" da diretoria blaugrana, e seu futebol era visto como essencial para a evolução do Barça nas próximas temporadas.

Poucos anos depois, porém, o atleta da seleção brasileira agora é colocado como dispensável, sendo possivelmente envolvido em uma troca com Miralem Pjanic, da Juventus.

Mas o que aconteceu para essa mudança de status tão sensível?

De acordo com o La Vanguardia, são vários fatores.

"Quando Robert Fernández [então diretor do Barcelona] descobriu Arthur no Grêmio, ele prontamente se deu conta de que havia encontrato uma agulha no palheiro", escreveu.

"No Brasil, vinham predominando meio-campistas físicos e de contenção, como Casemiro e Fabinho. Enquanto isso, Arthur, apesar de baixinho, toca e toca a bola, e medita suas jogadas. Parecia ideal para o Camp Nou, e o preço não foi absurdo. E ele mesmo confessava que havia estudado o jogo de Xavi e Iniesta", lembrou.

"Agora, porém, vê-se que ele torna o jogo mais lento. Ele mudou de continente com apenas 22 anos, e de fato esperava-se que isso causasse algo. Ele leva o estilo do Barça nas veias, mas, em termos físicos, é claro que ainda não acompanhou. Afinal, completou apenas 10 partidas inteiras em dois anos", argumentou.

"E, às vezes, amizades como as de Neymar fazem com que ele desvie a cabeça do futebol", apontou.

Vale lembrar que Arthur e Neymar são de fato amigos próximos, e isso já causou problemas ao ex-gremista.

Em fevereiro do ano passado, pegou mal no Barça o fato dele ter ido a Paris para o festão de aniversário de "Ney", 48 horas antes de um clássico contra o Real Madrid.

Dias depois, em entrevista, Arthur admitiu que havia errado e pediu desculpas.

"A vida é feita de escolhas, erros e acertos. Fui infeliz na minha escolha, mas sou bastante homem para assumir minha responsabilidade. Já tive uma conversa com o grupo, com a comissão, e eu em momento nenhum achei que estava certo", afirmou.

"Pedi desculpa. Me ajudaram bastante, em uma conversa de vestiário, meus companheiros conversaram bastante comigo, sou grato. Comissão técnica também, dirigentes, mostraram que tem preocupação, você se sente honrado. Foi um momento de muita dor, eles conversaram comigo, me ajudaram, só agradeço. Admito meu erro e só falo que não vai voltar a acontecer", seguiu.

"Tenho muito que melhorar, profissionalmente, pessoalmente. Quando precisei de ajuda, me ajudaram, e sigo focado para fazer o melhor dentro de campo", completou.