<
>

Lukaku explica por que não tocou em troféu da Champions e critica ex-técnico do Chelsea: 'Nunca vou perdoá-lo'

Romelu Lukaku estava no Chelsea em 2011-12, temporada em que o time conquistou de forma inédita a Champions League. O jogador ficou feliz pela conquista do elenco e, inclusive, esteve em Munique no dia do título diante do Bayern, mas se recusou a tocar na taça.

“Aquela sensação, aos 19 anos, é muito boa. Estava feliz pelo clube, mas havia um homem que me tinha tirado aquele momento: o técnico anterior (André Villas-Boas). Nunca vou perdoá-lo por isso", afirmou o centroavante em entrevista ao jornal belga Het Laatste Nieuws.

O jogador ficou de fora da lista dos inscritos para o torneio pelo técnico André Villas-Boas, que começou a temporada no comando dos Blues, mas acabou demitido. Roberto Di Matteo guiaria o time londrino ao título continental.

"Não toquei com um dedo, porque, pessoalmente, eu não ganhei esse troféu. É assim o meu comportamento, desde que tinha 11 anos. Se não contribuí com nada, não é um troféu meu. Só se você contribui para uma taça ou um título é que pode exibi-lo", declarou o jogador de 27 anos da Inter de Milão.

Lukaku ainda falou mais a respeito de Villas-Boas, que atualmente treina o Olympique de Marselha, além de destacar o relacionamento com Di Matteo.

"Uma vez ele me colocou para jogar como ponta esquerda e outra como ponta direita. Assim, você não consegue se desenvolver. Então, em determinada altura, você tem que pensar em si mesmo. Disse ao clube o que achava disso. Eu sei que Villas-Boas também estava sob pressão, mas era por isso que não me devia tratar daquela forma", afirmou o belga.

"(Di Matteo) Aproximou-se de mim de uma forma completamente diferente. Envolveu-me em tudo de imediato, e isso deveria ter acontecido muito antes. Realmente nunca perdoarei o treinador anterior."

Lukaku seria emprestado na sequência ao West Bromwich e então passaria por Everton e Manchester United, antes de ser contratado pela Internazionale no meio de 2019.