<
>

Rombo do Cruzeiro é maior do que clube já faturou em qualquer ano na história e supera o de Corinthians e São Paulo juntos

O Cruzeiro divulgou na última quarta-feira (20) um deficit de R$ 391,1 milhões, referente ao exercício financeiro do ano passado, justamente a temporada em que viveu sua maior crise administrativa e esportiva. Tanto que terminou o ano rebaixado para a Série B do Brasileiro. O rombo não é histórico somente para a agremiação. Sozinho, ele supera os deficits somados de Corinthians e São Paulo.

Analisando primeiramente o próprio histórico celeste, há cinco anos a equipe conseguiu ter o maior faturamento entre os clubes nacionais, inclusive acima de Flamengo, Palmeiras e Corinthians. Foram R$ 363,8 milhões nos cofres cruzeirenses.

Naquele ano, o clube mineiro não conquistou nenhuma taça. Caiu na semifinal do Campeonato Mineiro, parou nas quartas de final da Copa Libertadores e nas oitavas da Copa do Brasil. Fez campanha irregular no Campeonato Brasileiro e terminou na oitava posição.

O que ajudou a turbinar o faturamento foram as negociações de Éverton Ribeiro (Ah-Ahli, dos Emirados Árabes), Ricardo Goulart (Guangzhou Evergrande, da China), Lucas Silva (Real Madrid, da Espanha), Egídio (Dnipro, da Ucrância) e Nilton (Internacional) no início daquele ano.

A estimativa é que o Cruzeiro arrecadou somente com essas vendas R$ 80 milhões.

O faturamento obtido em 2015 foi o maior entre os clubes brasileiros naquela temporada, mas não o maior da história cruzeirense. Em 2018, a Raposa chegou a faturar incríveis R$ 386,8 milhões.

Há dois anos, contudo, a quantia deixou os mineiros na sexta colocação no ranking de faturamento do futebol brasileiro. À frente estavam Palmeiras (R$ 688,6 milhões), Flamengo (R$ 543 milhões), Corinthians (R$ 466,9 milhões), São Paulo (R$ 424,5 milhões) e Grêmio (R$ 402 milhões).

Em nenhum desses anos citados, o Cruzeiro chegou a ter um faturamento no casa de R$ 391,1 milhões, valor do deficit (diferença entre o que receitas e despesas) de 2019, o pior resultado nos 99 anos da equipe.

Até o balanço ser divulgado pelo clube na última quinta-feira, Corinthians e São Paulo eram então os clubes com piores deficit em 2019 no Brasil. O time alvinegro registrou R$ 177 milhões, enquanto o tricolor, R$ 159,1 milhões.

A soma desses valores corresponde a R$ 336,1 milhões, número inferior ao dos cruzeirenses.

Tirando como uma base apenas o faturamento dos clubes, só três conseguiram em 2019 uma cifra superior a R$ 391,1 milhões.

Os únicos foram Palmeiras (R$ 665,5 milhões), Corinthians (R$ 425,7 milhões) e São Paulo (R$ 398 milhões). Dos três, apenas os alviverdes tiveram superavit (R$ 1,7 milhão). Os outros dois, como já citado, tiveram deficit.