<
>

Clínicas, resorts e até casas de entretenimento adulto: auditoria revela gastos suspeitos de gestões passadas do Cruzeiro

Contratada para investigar potenciais irregularidades nas contas do Cruzeiro, a empresa Kroll divulgou um relatório com gastos suspeitos de gestões passadas do clube, entre 1º de dezembro de 2017 e 31 de dezembro de 2019.

Segundo auditoria feita pela firma terceirizada, que analisou pessoas, documentos, transações financeiras e comunicações eletrônicas dentro do clube, foram R$ 39,2 milhões de pagamentos irregulares ou suspeitos.

Entre eles, estão gastos de R$ 80.777,18 nos cartões de crédito corporativos emitidos em nome de quatro dirigentes. De acordo com a auditoria, os gastos ocorreram em estabelecimentos como "lojas de eletrônicos, lojas de roupas, clínicas de saúde, bebidas alcoólicas, resorts de luxo e casas noturnas de entretenimento adulto".

O documento também revela que o Cruzeiro pagou um total de R$ 8.521.311,80 a empresas vinculadas a dirigentes e/ou familiares e R$ 6.068.078,33 a empresas vinculadas a 52 conselheiros, mesmo que o Estatuto Social do clube vede esse tipo de relação.

A auditoria descobriu que o Cruzeiro também assinou contratos de intermediação de atletas sem que a participação dos intermediários fosse registrada na CBF, o que fere o Regulamento Nacional de Registro e Transferência de Atletas de Futebol. Esses contratos originaram 13 comissões que somaram mais de R$ 13 milhões.

O clube também feriu o Regulamento de Registro da CBF e o documento equivalente da Fifa ao oferecer direitos econômicos de jogadores em garantia do pagamento de dívida em, ao menos, dois contratos.

A auditoria completa pode ser encontrada aqui.