<
>

Veja por onde anda o 'padeiro' que tirou Boca da Libertadores há cinco anos contra o River

Há cinco anos, o Boca Juniors foi eliminado da Libertadores no tribunal da Conmebol após torcedores atirarem spray de pimenta no túnel dos jogadores do River Plate, durante confronto pelas oitavas de final, em La Bombonera.

Apontado como mentor intelectual e material do terrível ataque contra os atletas millonarios, o torcedor xeneize Adrián Napolitano, conhecido como Panadero ("Padeiro") viveu uma montanha-russa desde então.

Segundo o jornal Olé, Napolitano cumpriu de maneira correta seus três anos de suspensão em jogos de futebol, aplicada pela Justiça da Argentina em 2017, e jamais tentou entrar de gaiato em uma partida na Argentina desde o gancho.

Agora que ele teria chance de voltar, porém, deu de cara com a parede.

Isto porque o Boca extinguiu seu título de sócio e não o reincorporou, o que o impede de atender às partidas em La Bombonera.

Além disso, a pandemia de coronavírus fechou o clube, o que impediu que ele pudesse tentar qualquer caminho (seja pelas vias legais ou pelo "jeitinho") a recuperar seu carnê de associado.

Durante o tempo de suspensão, Panadero realizou trabalhos comunitários em uma igreja de seu bairro, e prometeu seguir ajudando a paróquia mesmo depois de pagar as contas com a Justiça.

Hoje em dia, segue trabalhando na mesma padaria de sempre (a que lhe rendeu seu apelido) e vive junto com a mulher e dois filhos.

Segndo sua esposa, porém, ele nunca mais voltou a ser feliz, já que "sofre" toda vez que o Boca joga, já que não pode estar em La Bombonera, o lugar que mais amou na vida, e onde talvez nunca mais possa voltar.