<
>

Presidente do Grêmio admite que pode vender Everton Cebolinha com real em baixa

play
Grêmio descontamina seu CT na véspera da reapresentação dos jogadores; veja o processo (1:34)

Clube retoma atividades nesta segunda; jogadores se apresentarão individualmente na terça | via @gremio (1:34)

O presidente do Grêmio, Romildo Bolzan, afirmou que a atual situação financeira do futebol por causa da pandemia do coronavírus pode ocasionar a venda do atacante Everton Cebolinha.

Em entrevista a Mauro Cezar Pereira (comentarista da ESPN) em seu blog no UOL, o dirigente acredita que o real em baixa viabilizaria uma negociação.

"Não tive proposta, muitas consultas, mas nenhuma proposta concreta, documentada e que poderia ser avaliada. Então nada recusamos porque nada veio de concreto. Por toda essa situação, poderíamos analisar uma proposta e uma situação de valor menor, mas importa saber se o câmbio da ocasião vai se assemelhar ao valor em reais que desejaríamos, isso se tiver proposta", ponderou.

"Acho que está chegando a hora de um momento importante para ele em sua carreira, em função de todo o crédito que tem e a passagem pela seleção. Seria interessante para o Grêmio também, em função de toda a crise, mas se tivermos que ficar com o jogador, do ponto de vista esportivo será bom negócio. Tem que ser bom para as duas partes", continuou Romildo.

Ele vê uma situção "catastrófica" com relação à parte financeira sem futebol.

"Os campeonatos vão ser finalizados, nem que seja em 2021, mas será catastrófica. Nossa maior missão hoje é superar a crise e não deixar cair a peteca, mantendo o clube forte para seguir com capacidade quando passar tudo isso. Nossa primeira situação não é mais ganhar campeonato, mas sobreviver bem. Os que não se ajustarem terão muita dificuldade para se estabelecer lá na frente. Capacidade de gestão e diagnóstico, sem isso não vai dar certo", analisou.