<
>

Roma, Londres e Berlim: no aniversário de Brasília, veja capitais inexpressivas ou '2ª força'

Brasília completa 60 anos de fundação nesta sexta-feira consolidada como uma das principais cidades do Brasil, mas muito longe de ser referência quando o assunto é futebol.

Nenhum clube do Distrito Federal disputa a primeira divisão do Campeonato Brasileiro. O último representante foi o Brasiliense (de Taguatinga, região administrativa do DF) há quinze anos, em 2005. A equipe terminou na lanterna e foi rebaixada.

A cidade também não tem participantes na segunda divisão desde 2010 e na terceira desde 2013.

Em termos de conquistas, Brasília está aquém até de ser uma segunda força. Nenhum representante do Distrito Federal foi campeão na elite nacional e internacional. O mais próximo foi o próprio Brasiliense, vice da Copa do Brasil de 2002, ao ser perder a taça para o Corinthians.

As equipes do Distrito Federal também são pouco expressivas em outras divisões do país. Somam dois títulos na Série B (Gama, em 1998, e Brasiliense, em 2004), apenas um na Série C (Brasiliense, em 2002) e nenhum na Série D.

O que ocorre com Brasília é comum a outras capitais em países com tradição ou paixão por futebol. Berlim, na Alemanha, e Roma, na Itália, são bons exemplos nesse sentido.

A capital alemã tem apenas cinco títulos do Campeonato Alemão, considerando a era amadora no país. Os vencedores foram o Hertha Berlin (1929/30 e 1930/31), o Viktoria (1907/08 e 1910/11) e o SV Blau-Weiss Berlin (1904/05). Nenhum na era Bundesliga (de 1963/64 pra cá).

Roma também teve apenas cinco equipes campeãs do Campeonato Italiano, todas no profissionalismo. A Roma tem três títulos (1941/42, 1982/83 e 2000/01), enquanto a Lazio tem dois (1973/74 e 1999/00). A diferença para Berlim é que os romanos acumulam melhores participações.

A Roma foi vice-campeã 14 vezes, a maioria no século atual, enquanto a Lazio ficou seis vezes no quase. Vale lembrar que a equipe biancoceleste estava na segunda colocação na Série A atual, até o torneio ser interrompido pela pandemia do novo coronavírus.

Tanto Berlim quanto Roma penam quando o assunto é torneio internacional. Jamais suas equipes venceram a Champions League. O melhor desempenho é um vice da Roma, que perdeu a taça para o Liverpool nos anos 80.

As duas cidades mais vitórias na Alemanha e na Itália são Munique (terra do Bayern e do Munique 1860, com 30 taças) e Turim (da Juventus e do Torino, com 42). Uma distante muito respeitável.

Londres também decepciona. Os 21 títulos nacionais (veja tabela abaixo) podem parecer muito, mas vale lembrar que só o Manchester United tem 20, e o Liverpool, 18. E as cidades desses clubes estão no topo de conquistas.

Somando as taças de Liverpool e Everton, a cidade tem 27. Já com os títulos de United e City, Manchester soma 26.

Vale lembrar também que Londres tem o maior número de representantes na Premier League e é um fracasso internacionalmente. Apenas o Chelsea conseguiu vencer a Champions League. Foi na edição 2011/12.

O que é curioso porque as capitais nacionais com mais títulos ficam em países onde as forças ficam concentradas nessas cidades. São os casos de Cidade do México, Madri (Espanha), Lisboa (Portugal), Montevidéu (Uruguai) e Buenos Aires (Argentina).

Nessas capitais há títulos nacionais e internacionais. E Buenos Aires é uma potência tanto nacionalmente como internacionalmente.