<
>

Málaga brilhou na Champions há sete anos; agora precisa de R$ 85 milhões para não cair à 3ª divisão

play
Kanté no Barcelona, troca Griezmann por Lautaro e Real atrás de Camavinga: Linares repercute notícias da Espanha (1:06)

Mercado da bola está agitado em LaLiga apesar da paralisação pelo coronavírus (1:06)

9 de abril de 2013. O Málaga ficou a segundos de jogar a semifinal da Champions League, mas uma virada impressionante do Borussia Dortmund acabou com o conto de fadas que vivia o clube espanhol.

Os torcedores não podiam acreditar nos dois gols sofridos em um intervalo de 69 segundos nos acréscimos do segundo tempo. O que também não podiam acreditar é que sete anos depois daquele jogo o clube estaria em uma situação dramática, precisando de uma grande quantia para evitar o rebaixamento... à terceira divisão espanhola.

José María Muñoz, administrador judicial do Málaga, entregou ao 14º tribunal de inquérito um documento em que aponta que é necessário 15 milhões de euros (R$ 85,59 milhões na cotação atual) para que o clube não seja rebaixado administrativamente na próxima campanha. O relatório ainda aponta que o limite salarial do elenco para a temporada atual foi extrapolado em 10,2 milhões de euros (R$ 58,2 milhões).

O Málaga foi rebaixado à segunda divisão espanhola em 2017-18, depois de ter sido lanterna em LaLiga. A equipe esteve próxima de retornar à elite em 2018-19, ao ter terminado na terceira colocação, mas acabou eliminada pelo Deportivo La Coruña na semifinal dos playoffs do acesso.

Nesta edição, figura na 15ª colocação com 38 pontos, três a mais do que o Deportivo La Coruña, o primeiro integrante na zona de rebaixamento.