<
>

Como Faustão e Oingo Boingo já ajudaram Flamengo a contratar atacante

play
Diego revela momento mais difícil de sua passagem pelo Flamengo: 'Uma decepção gigantesca' (1:21)

Meia relembrou eliminação para o Athletico na Copa do Brasil de 2019 (1:21)

Talvez você nunca tenha ouvido falar de Oingo Boingo, banda norte-americana que fez sucesso principalmente na década de 80. Já Faustão certamente é mais conhecido no Brasil. Mas tanto os músicos, quanto o apresentador da TV Globo têm uma ligação em comum: o Flamengo.

A história inusitada foi revelada pelo ex-presidente rubro-negro Gilberto Cardoso Filho a Mauro Cezar Pereira, comentarista dos canais ESPN. Acredite: tanto Oingo Bongo, como Faustão, ajudaram o clube carioca a contratar o atacante Gaúcho em 1989.

Tudo começou com a transferência de Bebeto para o Vasco. Na busca por substituto, o Flamengo foi atrás de uma revelação que estava no Palmeiras. “Comprei o Gaúcho por 100 mil dólares em três parcelas de US$ 33 mil e pouco”, revelou o ex-cartola rubro-negro.

É na forma como os pagamentos foram feitos que a história fica curiosa: Gilberto Cardoso Filho conseguiu o dinheiro graças ao aluguel do recém-inaugurado ginásio Hélio Maurício.

“Aluguei para a TV Globo fazer o programa do Faustão e recebemos US$ 30 mil. Depois mais US$ 30 mil por um show do grupo musical Oingo Boingo. Tudo no ginásio. E ainda fizemos mais um evento para completar o dinheiro", relembra o então presidente, hoje com 81 anos.

"Quando fomos pagar os últimos US$ 33 mil ao Palmeiras, o empresário que fez a negociação, que era o Marcos Lázaro, queria devolver os US$ 66 mil que havíamos desembolsado e dar mais US$ 100 mil para ter o Gaúcho de volta. O prazo terminava em 31 de dezembro de 1989 e provavelmente ele poderia revende-lo por mais ainda”, complementou.

Gilberto Cardoso Filho, que é primo do atual presidente Rodolfo Landim e ficou no cargo entre 1989 e 1990, conta que a decisão de devolver Gaúcho e ainda ficar com 166 mil dólares ficou nas mãos de Márcio Braga, que retornou ao comando rubro-negro em 91.

"Fui a São Paulo com o Márcio Braga, e disse que ele deveria decidir, afinal, estava voltando à presidência e o clube tinha dinheiro das vendas do Bebeto e do Aldair. Mas o Márcio preferiu ficar com o jogador.”

"Mas o interessante mesmo é que foi o próprio Marcos Lázaro que havia conseguido, oferecido, todos aqueles eventos que fizemos no ginásio do Flamengo e viabilizaram os pagamentos das três parcelas do Gaúcho. Ele vendeu o jogador, nos ajudou a pagar e ainda queria de volta nos dando um valor maior", encerrou Cardoso Filho.

Com a camisa do Flamengo, Gaúcho foi fundamental nos títulos do Campeonato Carioca de 1991 e Brasileiro de 92. No total, foram 98 gols em 199 jogos pelo clube. Ele morreu em 2016, aos 52 anos, vítima de um câncer de próstata.