<
>

Maradona tinha noite mágica em primeiro clássico contra o River e virava ídolo do Boca há 39 anos; veja como foi

play
Ronaldo, Maradona, Ronaldinho Gáucho e mais: garotinhos 'recriam' gols históricos de craques do futebol (1:47)

Pequenos também mostraram todo seu talento no vídeo - Twitter @sohanlon23 (1:47)

O dia 10 de abril é histórico para o Boca Juniors. Em 1981, a equipe enfrentou o River Plate em partida pela 10ª rodada do Torneio Metropolitano e Maradona teve uma noite mágica e se colocou de vez na história do clube xeneize.

Diego havia acabado de chegar ao clube, vindo do Argentinos Juniors, e já mostrava suas habilidades desde o começo, mas aquele Superclássico sacramentou Maradona no Olimpo dos deuses do Boca.

Era uma noite chuvosa de quinta-feira em La Bombonera e o camisa 10 fazia sua estreia contra o maior rival xeneize e foi o grande destaque da vitória por 3 a 0, apesar dos dois gols de Miguel Ángel Brindisi - Maradona fechou a conta.

O primeiro gol dos donos da casa veio após uma jogada espetacular de Maradona. O craque arrancou desde a defesa, fez fila na defesa do River Plate e, cara a cara com Fillol, foi travado pelo goleiro adversário e a bola se ofereceu para Brindisi só empurrar para a rede vazia.

Diego não participou diretamente do segundo gol, apesar de ter iniciado a jogada no meio de campo, mas parecia estar guardando o melhor para depois.

Aos 22 minutos da segunda etapa, Carlos Córdoba cruzou a bola da direita, Maradona se esticou todo para matar a bola de canhota e ficou de frente com Fillol. O camisa 10 então deu um lindo corte para a perna direita e deixou o goleiro campeão do mundo em 1978 sentado.

Alberto Tarantini ainda tentou chegar para salvar a bola em cima da linha, mas foi outro vencido por Maradona que, então, só teve o trabalho de rolar a bola para o gol vazio. Um gol antológico que explodiu a Bombonera e fez Maradona cimentar seu lugar entre os maiores da história do Boca Juniors.