<
>

Real Madrid conversa com empresários de jogadores e já não descarta redução de salários

play
Teria futuro? Courtois compartilha vídeo de infância jogando como atacante (0:07)

O goleiro do Real Madrid compartilhou as imagens em seu Instagram onde brincava com os amigos, ainda do lado oposto à posição que o consagrou como jogador | Via Instagram @thibautcourtois (0:07)

A direção do Real Madrid já começa a cogitar a possibilidade de reduzir os salários dos jogadores de suas equipes de futebol e basquete por conta da paralisação provocada pela pandemia do coronavírus.

O clube ainda não tomou uma decisão definitiva, mas diferentes fontes confirmaram à ESPN que nas últimas horas estão mantendo contato com vários empresários de jogadores para avaliar a possibilidade.

Outros clubes de LaLiga já anunciaram a redução enquanto durar o estado de emergência na Espanha. Barcelona e Atlético de Madrid realizaram ERTEs (Expedientes de Regulação Temporária de Emprego) e, em acordo com os atletas, cortaram 70% dos salários.

O Real Madrid quer explicar aos poucos a situação para os jogadores para evitar qualquer mal entendido, mas ainda são conversas iniciais e não há definição das porcentagens de corte.

Contudo, Toni Kross já se pronunciou a respeito em declarações à SWR Sport e deixou claro ser contrário à redução salarial. “Uma redução de salário é como uma doação em vão”, declarou o alemão ao podcast Stein Extra. “Sou a favor de que se pague o salário completo e que cada um faça coisas sensatas com ele. A todos se pedem que ajudem onde seja necessário, e há muitos lugares em que é necessário”.

Segundo a ESPN pôde saber, a opinião de Kross não é compartilhada pela maior parte do elenco, mas preferem esperar para avaliar qualquer tipo de corte até essas primeiras avaliações se tornem realidade.

Além disso, vários atletas fizeram doações, tanto de dinheiro quanto de material hospitalar, de maneira particular. De toda forma, uma das prioridades da direção e dos jogadores é que a crise não afete os funcionários do clube, por isso a predisposição foi positiva de todas as partes nas primeiras conversas.