<
>

Manchester United: Chicharito relembra susto quando recebeu proposta: 'Jogo com eles no videogame'

O atacante Javier "Chicharito" Hernandez está convencido de que sua força mental foi a grande responsável para seu sucesso no futebol europeu em equipes como Manchester United e Real Madrid.

O atacante de 31 anos admite que não tem o talento puro de um Zinedine Zidane ou da lenda mexicana Rafa Marquez, mas diz que conseguiu fazer sua carreira maior do que jogadores de mais qualidade justamente por causa de sua mentalidade.

"Existem milhões de jogadores com talento para o futebol, mas não com essa mentalidade", afirmou Chicharito em entrevista Sergio Dipp, da ESPN, em uma transmissão ao vivo pelo Instagram. "Eu queria ser o melhor, queria estar no Real Madrid. Poderia ter ficado confortável com a minha família em Guadalajara e não ter me desafiado".

"Eu sou corajoso, muito audacioso", continuou. "Quando coragem e competitividade andam juntos, esse tipo de carreira acontece. Por isso que eu consegui tantas conquistas individuais, mesmo sem o talento de Zidane ou Rafa Marquez".

O atacante também falou da sua chegada ao Manchester United, quando deixou o Chivas há quase 10 anos atrás, em 8 de abril de 2010. Hernandez comentou que não acreditou de primeira que os Red Devils estavam realmente interessados nele.

"Meu pai me falou: 'Ei, o United quer você', e eu respondi: 'Não, pai, você está me zoando'", recordou o mexicano. "Em uma noite eu estava jogando videogame com o time, com Rooney, e dois dias depois você me fala que o clube quer assinar comigo? Eu falei para ele: 'Não, pai, não é verdade. É impossível'".

O pai de Chicharito, Javier, um ex-jogador da seleção mexicano, chorou quando percebeu o tamanho da negociação que estava acontecendo, segundo o próprio Chicharito, que teve "sentimentos indescritíveis" quando o acordo foi selado.

"Quando você chega a um clube como o United é difícil achar um equilíbrio entre aproveitar, não estar obcecado com querer mais e pensar que você já fez tudo", disse o atacante que anotou 37 gols na Premier League com a camisa dos Diabos Vermelhos. "É um sentimento agridoce. É tudo maravilhoso e então no avião eu me perguntei: e agora?".

Hernandez jogaria ainda por Real Madrid, Bayer Leverkusen, West Ham e Sevilla antes de chegar ao LA Galaxy em janeiro e se transformar em uma das grandes estrelas dos Estados Unidos.

O maior artilheiro da história da seleção mexicana não descarta uma possível volta para a Europa, mas está confiante de que tomou a melhor decisão ao escolher a MLS.

"Você nunca sabe (se pode voltar). Não sei. É difícil, mas por que não?", comentou. "Eu sou uma pessoa firme nas minhas decisões. Eu posso mudar minha cabeça, todo mundo pode, mas eu estou certo do projeto que escolhi no Galaxy".