<
>

Cartola teme colapso do futebol inglês: 'Corremos o perigo de perder clubes'

play
Negociações entre jogadores e clubes na Premier League e Bayern treinando: Natalie Gedra traz últimas notícias do mundo da bola (1:33)

Correspondente da ESPN Brasil em Londres atualizou informações nesta segunda-feira (1:33)

A crise causada pela pandemia do novo coronavírus atinge todos os clubes de futebol pelo mundo, inclusive na Inglaterra, dona da liga mais rica do planeta.

Nesta terça, o presidente da Federação Inglesa de Futebol, Greg Clarke, falou sobre o assunto. Em mensagem enviada para o conselho da Football Association, Clarke ressaltou a importância dos donos ou acionistas majoritários dos clubes chegarem ao consenso de que perdas financeiras acontecerão para que o jogo possa ser mantido.

"O futebol enfrenta desafios financeiros além da compreensão de quem o comanda. Vamos enfrentar a perda de clubes e ligas por questões financeiras. Muitas comunidades podem perder seus times com poucas chances de volta. Por conta dessa adversidade sem precedentes, todos os acionistas precisam enfrentar o problema e dividir as perdas para manter o jogo vivo", disse o dirigente.

Clubes como Sunderland e Crewe confirmaram que deram licenças aos jogadoers e staff nesta terça. Além disso, equipes da Premier League, como Newcastle, Norwich e Bournemouth aceitaram ajuda governamental. Já medidas de clubes mais ricos, como Liverpool e Tottenham, de colocar apenas funcionários de fora do campo de licença repercutiram mal no país, sendo revertidas pelos clubes.

Nesta segunda, a Federação Inglesa anunciou que pode enfrentar perdas na casa de 150 milhões de libras, além da redução do salário do treinador da seleção nacional, Gareth Southgate, em 30%.

"Todos devem entender que a Premier League não está imune aos impactos desta crise. Apontar falhas não ajuda ninguém neste momento. É a hora de todos os acionistas agirem em conjunto para salvar o nosso jogo. Futebol é um jogo coletivo, e agora é a hora do trabalho em equipe", concluiu.