<
>

Corinthians é cobrado em cerca de R$ 40 milhões por descumprir acordo com o MP-SP

Nesta terça-feira (7), o Ministério Público de São Paulo aumentou o valor da cobrança ao Corinthians pela falta de manutenção da concessão municipal do terreno da Arena. O valor era de R$ 12 milhões e passou para aproximadamente R$ 39,7 milhões.

O pedido de aumento foi efetuado em fevereiro e ainda não teve apreciação do juiz Randolfo Ferraz de Campos, responsável pela 14ª Vara da Fazenda Publica, segundo publicação do “Meu Timão“.

Em 2011, o clube paulista se prontificou a investir cerca de R$12 milhões em contrapartidas sociais na região de Itaquera, como atividades voltadas à educação, crianças e adolescentes, idosos, pessoas com deficiências e pessoas em estado de vulnerabilidade econômica. Um terço da quantia deveria ter sido disponibilizada até seis meses depois da Copa do Mundo de 2014 e o restante entre janeiro de 2015 e dezembro de 2019.

Além disso, o acordo também exigia que o Corinthians prestasse contas ao MP-SP semestralmente. O seu descumprimento permitia a execução dos valores com jurus e correção monetária.

Em nota, o Alvinegro informou que “as contrapartidas estão sendo tratadas e o valor refere-se a juros e atualização monetária previstos no acordo”.