<
>

De 'pobre' ao 'special one': como era o Chelsea antes da era bilionária de Abramovich

play
Resenha: Willian relembra histórias de Mourinho no Chelsea e 'imita' treinador de forma hilária (1:06)

Brasileiro chegou aos Blues enquanto o time era comandado pelo treinador português (1:06)

O Chelsea foi fundado em 1905 e tinha em seu currículo apenas um título inglês, em 1954-1955. Em julho de 2003, o clube, então endividado, foi vendido por Ken Bates, dono desde 1982, para Roman Abramovich. E foi nas mãos – e nas montanhas de euros – do bilionário russo que os Blues mudaram de patamar.

Desde então, foram cinco títulos da Premier League (2004-2005, 2005-2006, 2009-2010, 2014-2015 e 2016-2017), cinco Copas da Inglaterra, duas Europa League e o grande feito, a conquista da Champions League, em 2011-2012.

Mas como era o Chelsea antes da injeção financeira do magnata russo? Não dá para dizer que o clube era gigante, mas também não era “nanico”. O fato é que se tornou odiado por muitos, afinal, a injeção de grana incomodou os rivais.

Jogadores como Ruud Gullit, Gianluca Vialli, Gianfranco Zola, por exemplo, fizeram parte do elenco no fim dos anos 90 e foram fundamentais para o “renascimento” da equipe, mesmo que sem títulos relevantes. Zola, inclusive, é um dos maiores – se não o número 1 – ídolos da torcida azul.

play
1:06

Resenha: Willian relembra histórias de Mourinho no Chelsea e 'imita' treinador de forma hilária

Brasileiro chegou aos Blues enquanto o time era comandado pelo treinador português

A temporada anterior à chegada de Abramovich, em 2002-2003, mostrava um Chelsea repleto de jogadores com mais de 30 anos e com cara de Copa do Mundo de 1998 – ou até 1994.

O goleiro holandês Ed de Goey, por exemplo, esteve em campo no histórico Brasil 3 x 2 Holanda, nas quartas de final, e o italiano Zola ficou no banco na derrota nos pênaltis na final em 1994. O espanhol Albert Ferrer havia disputado os dois Mundiais.

Marcel Desailly e Emmanuel Petit haviam sido campeões com a França em 1998, mesma Copa que teve as presenças de outros jogadores do elenco, como o inglês Graeme Le Saux, croata Mario Stanic e os holandeses Winston Bogarde, Boudewijn Zenden e Jimmy Floyd Hasselbaink.

O elenco contava também com jovens promissores, em especial o zagueiro John Terry, nascido em 1980, Frank Lampard, de 1978, sob a batuta de Claudio Ranieri.

Bons jogadores, alguns acima da média, mas ainda faltava qualidade.

Na primeira temporada de Abramovich, em 2003-2004, Claude Makelele, Damien Duff, Geremi, Glen Johnson, Hernán Crespo e Joe Cole chegaram ao clube.

No ano seguinte, a grande virada. Petr Cech, Wayne Bridge, Ricardo Carvalho, Tiago, Didier Drogba e Arjen Robben foram contratados, derrubando a média de idade para 24 anos e 3 meses. O técnico também era uma jovem novidade: José Mourinho, 41 anos, que meses antes havia sido campeão da Champions League com o Porto.

No dia 2 de julho de 2004, data de sua apresentação oficial, Mourinho foi responsável por duas frases eternizadas na história – e no folclore – do futebol mundial.

“We have top players and, sorry if I'm arrogant, we have a top manager.”

“Nós temos os melhores jogadores e, desculpem-se se sou arrogante, nós temos o melhor técnico.”

“Please don't call me arrogant, but I'm European champion and I think I'm a special one.”

“Por favor, não me chamem de arrogante, mas sou campeão europeu e acredito que sou o special one.”

Ah, Mourinho foi campeão da Premier League em seu primeiro ano no Chelsea.

O resto é história.