<
>

Gabriel Jesus: golaços, dois títulos e até números melhores que os de Aguero no Manchester City

play
Gabriel Jesus, 23 anos: um presente de aniversário ao atacante brasileiro (2:09)

Veja o clipe especial que o ESPN.com.br montou para o jogador do Manchester City, que nasceu em 3 de abril de 1997 (2:09)

Alô, mãe! Avisa lá que chegou a vez de relembrar a temporada de Gabriel Jesus, aniversariante do dia!

O ESPN.com.br conta como vinha sendo o desempenho dele até aqui na temporada - que já contava com 18 gols, nove assistências e já dois títulos em 39 jogos pelo Manchester City.

Volta em alta!

Gabriel Jesus não tinha um jeito melhor de começar a temporada. Depois das críticas na Copa do Mundo, o centroavante recuperou seu espaço na seleção brasileira e foi decisivo no título da Copa América, com direito a gol na semi e na decisão do torneio.

play
1:02

'Vaaai, Gabriel Jesus'; Everaldo narra o segundo gol do Brasil, e Calçade e Sampaio gesticulam

No final do primeiro tempo, camisa 9 colocou s seleção brasileira na frente

Ele fechou uma temporada incrível com 5 títulos conquistados. E ainda aproveitou o restinho de férias para brilhar em amistoso no Brasil antes de se reapresentar ao Manchester City, já no final de julho.

E o retorno não poderia ser melhor. Mesmo sem jogar durante toda a pré-temporada, Jesus entrou e bateu a penalidade decisiva na disputa de pênaltis contra o Liverpool para dar ao City o título da Supercopa da Inglaterra.

E a estreia na Premier League também não poderia ser melhor: marcou logo o primeiro gol do City na competição em goleada por 5 a 0 sobre o West Ham.

Ele também entrou para a história com o primeiro gol anulado pelo VAR na Premier League - e seria um golaço!

O VAR, aliás, seria um 'inimigo' de Jesus na temporada.

Começo artilheiro

O início de temporada, aliás, foi de bem com as redes. Jesus até sofreu uma pequena lesão na coxa - o que o fez desfalcar também a seleção brasileira em amistosos -, mas voltou rápido aos gramados.

Contando o gol contra o West Ham, foram cinco bolas nas redes nos primeiros 550 minutos em campo.

Esfriada

Só que jogar no Manchester City não é fácil. Afinal de contas, Jesus disputa espaço com ninguém menos que Sergio Aguero, um dos maiores artilheiros da história do clube.

E entre uma partida e outra indo para o banco, Jesus viveu seu pior momento na temporada entre o fim de outubro e o começo de dezembro. Uma 'seca' de oito jogos pelo City (e ainda mais dois pela seleção), com chances desperdiçadas mesmo na cara do goleiro e até pênalti perdido na Champions.

Fim da seca

Só que dezembro foi um ótimo mês para o centroavante. Gabriel quebrou o jejum logo de cara - e com dois gols na vitória contra o Burnley. E logo com dois belíssimos gols! E uma pitadinha de emoção.

Ainda teve hat-trick na Champions contra o Dinamo Zagreb e bola na rede contra o Leicester para fechar o ano bem.

Ano novo, gols novos

2020 também começou com tudo para Jesus. Logo no primeiro jogo do ano, dois gols - um deles um golaço - para garantir a vitória por 2 a 1 sobre o Everton.

Altos e baixos

Contra o Aston Villa, Jesus viveu um jogo agridoce. Até marcou mais um, mas acabou também perdendo três chances inacreditáveis em um intervalo de tempo de apenas 15 minutos.

Os altos e baixos continuaram em janeiro. Teve jogo com pênalti perdido, mas também partida com dois gols em apenas três chutes.

Contra o West Ham, mais um jogo ruim, com três gols incríveis desperdiçados mais uma vez.

Em alta antes da parada

Mas Jesus mais uma vez ficou em alta antes da parada do futebol por conta do coronavírus. Primeiro, quebrou a má fase ao marcar contra o Leicester e garantir uma vitória do City na Premier League.

Depois, ainda marcou de novo e foi fundamental na vitória sobre o Real Madrid em pleno Santiago Bernabéu pelo jogo de ida das oitavas da Champions.

E ainda levantou mais um título: o da Copa da Liga Inglesa.

A 'batalha' com Aguero

Jesus chegou à parada até com um alguns números melhores que os de Aguero.

O brasileiro jogou mais partidas (39 a 30), mais tempo (2.224 minutos a 2.037) e participou de mais gols (27 a 26) que o argentino.

Aguero até balançou as redes (23 a 18), mas Jesus tem sido um garçom bem melhor (9 a 3 em assistências).