<
>

TV alemã diz que Champions League será decidida entre julho e agosto

play
O mundo do futebol pós-pandemia: André Linares repercute assunto que tomou conta dos jornais na Espanha (1:33)

As capas das principais publicações espanholas amanheceram com um questionamento em comum nesta quarta-feira: como os clubes e federações reagirão a esse período sem lucros? (1:33)

As partidas decisivas da Champions League devem ocorrer entre julho e agosto para que os clubes consigam concluir a temporada da mais importante competição da Europa. O mesmo cenário está previsto para a Liga Europa. Mas essa solução criará outro problema em relação as fases preliminares das duas competições no calendário da temporada 2020/21, que teriam de ser adiadas para o outono (setembro/outubro).

A informação é do canal alemão ZDF e não um posicionamento oficial da Uefa, uma vez que os representantes da confederação máxima do continente ainda vão se reunir para definir medidas em um cenário de grande incerteza por causa do novo coronavírus.

O futebol na Europa está suspenso desde o início de março. A Champions League foi interrompida quando faltavam quatro jogos para definir os últimos classificados para as quartas de final. Faltam ser disputados quartas, semifinal e final (cinco partidas).

A Liga Europa tem um cenário um pouco pior. Apenas seis jogos da primeira perna das oitavas de final foram disputados. Isso significa que quatro equipes tem obrigatoriamente duas partidas para fazer, enquanto as outras 12 tem mais uma. Depois viriam quartas, semifinal e final.

No cenário sugerido pelo canal alemão, muito similar ao que publicou dias atrás "The Independent", os jogos poderiam ser em uma sede fixa e concentrados em junho e julho, uma vez que a edição da Eurocopa deste ano foi adiada.

O problema maior é como lidar com o cenário de incerteza pelo coronavírus.

Hoje, a maioria dos países da Europa obriga seus moradores a ficarem em suas casas. As saídas podem ser feitas para reabastecimento em mercados ou farmácias, mas somente com permissão oficial do governo.

Está proibida a prática de esportes, mesmo que sem a presença de público.

A Uefa se preocupa com o final das competições atuais, uma vez que podem impactar em todo o calendário da próxima temporada, mas também se incomoda com questões comerciais. Há muito dinheiro pela transmissão dos jogos envolvido.

Se eles não forem disputados, pode haver um colapso financeiro nos clubes e na entidade.