<
>

Flamengo muda pagamento de bichos e frustra funcionários, informa Jorge Nicola

O Flamengo aproveitou a paralisação das competições por causa do novo coronavírus para debater internamente mudanças na forma de pagamento dos bichos para os funcionários do departamento de futebol. A diretoria decidir que agora eles vão receber somente por títulos.

A informação é de Jorge Nicola, jornalista dos canais ESPN, em seu blog no "Yahoo".

De acordo com a publicação, ficou acertado que somente os jogadores, o técnico Jorge Jesus e os sete auxiliares do treinador português terão direito a bicho por vitória e por título.

Todos os demais --isto é, roupeiros, massagistas, fisioterapeutas, fisiologistas, seguranças etc.-- receberão somente por títulos, e de acordo com o patamar salarial de cada um. É um jeito de evitar distorções financeiras entre o salário em carteira e a bonificação.

O assunto já tinha gerado desgaste no ano passado, durante a disputa do Mundial de Clubes.

Na ocasião, o presidente Rodolfo Landim, o vice do clube, Luiz Eduardo Baptista, o CEO, Reinaldo Belotti, e a chefe de RH, Roberta Tanure, “defendiam o modelo do mundo corporativo, em que nenhum funcionário pode ganhar oito, nove ou dez vezes mais em um prêmio na comparação com seu salário”, diz o texto publicado pelo jornalista.

Alguns funcionários chegaram a receber R$ 26 mil, embora os ganhos mensais deles estejam em torno de R$ 3 mil.

O que aumenta a frustração dos funcionários é que os sete auxiliares de Jorge Jesus (João de Deus, Tiago Oliveira, Mário Monteiro, Marcio Sampaio, Rodrigo Araújo, Gil Henriques e Evandro Mota) faturaram, cada um, 75 mil euros pelo título da Libertadores e 50 mil euros pelo Brasileiro.

Neste ano, o time já levantou as taças da Supercopa do Brasil e da Recopa Sul-Americana.

E eles continuarão ganhando bicho por vitória, pois é o que assegura o contrato entre o Flamengo e o técnico Jorge Jesus.