<
>

Felipão comenta Copa de 2014 e divide culpa pelo 7 a 1: 'Quando ganhou em 2002, todos fomos heróis'

Treinador com uma carreira de muito sucesso, Luiz Felipe Scolari representa bem como um único jogo pode ficar marcado na carreira até dos mais vitoriosos.

Em entrevista ao jornal inglês The Guardian, o treinador falou mais uma vez sobre o 7 a 1 sofrido para a Alemanha na Copa do Mundo de 2014, no Mineirão. Seis anos após o fatídico resultado, Felipão não deu desculpas. "Quando chegamos à semifinal, tivemos alguns momentos de desequilíbrio. E nós perdemos. (Nossos erros) aconteceram e foram muito bem aproveitados pela Alemanha", analisa.

Apesar de reconhecer os erros, Felipão também ressalta a qualidade do adversário na partida. "Nós perdemos porque não jogamos bem, porque tivemos momentos de falta de concentração. Perdemos por causa da qualidade da Alemanha. Perdemos porque não tivemos a oportunidade de aproveitar os pontos fracos da Alemanha", argumenta.

Após o jogo, o treinador ficou marcado como a imagem da decepção e humilhação brasileira - e revela certa mágoa com o desfecho. "Eu fui - e sou - a pessoa mais associada com esse desastre. Quando o Brasil ganhou em 2002, eu não fui o maior herói, todos fomos heróis. Em 2014, esperava que todos nós (dividissemos a culpa), que a imprensa reconhecesse que o Brasil perdeu. Mas não foi o que aconteceu", lamenta.

Mesmo com o resultado achapante e a eliminação, Felipão se defendeu das criticas. "É fácil criticar depois de acontecido. Se tivéssemos vencido, seria um ato de heroísmo. Não vamos encontrar uma justificativa da derrota por aí", conclui.