<
>

Mega evento para TV e times isolados: o plano da Premier League para terminar temporada

Diante da incerteza causada pela pandemia do novo coronavírus, a Premier League cogita um plano bem radical para concluir a atual temporada e cumprir os contratos de patrocínio e televisão.

De acordo com o site “LiverpoolEcho” desta segunda-feira, o plano é isolar os 20 times do campeonato, durante dois meses (junho-julho), e realizar todas as rodadas que restam em uma única cidade.

Uma das possibilidades é encontrar uma área no centro de Londres, rodeada de estádios e com uma boa rede de transporte e hotelaria. Todos os jogadores ficariam em hotéis especialmente reservados para eles, mas sem a presença ou a visita de familiares.

Os jogos seriam com portões fechados, mas exibidos pela televisão. Um mega evento para a TV.

Faltam nove rodadas (além de duas partidas pela 29ª rodada) para fechar o torneio. No total, são 92 jogos para serem exibidos em um período de 60 dias. Um relatório mostrado pelo “The Independent” aponta que é possível.

O Liverpool lidera com 82 pontos contra 57 do Manchester City, o vice-líder.

Há muitos lados favoráveis a essa decisão. Os diretores da Premier League e dos clubes são um lado, poi, dependem do final da competição para receber a quantia prometida (e polpuda) pelos direitos de TV.

A receita com a transmissão dos jogos é a mais importante.

Outro ente favorável aos jogos é o governo nacional, que entende que seria uma boa forma de manter as pessoas entretidas em suas residências e fazer a economia girar um pouco. A recomendação é que ninguém saia de casa para evitar aumento da contaminação.

Mas a preocupação geral --especialmente dos jogadores-- é que o isolamento não é uma garantia 100% segura contra a COVID-19. Basta um deles contrair a doença para que ela se espalhe rapidamente. Empresários dos jogadores também discordam dos jogos.

Nem mesmo a promessa de uma equipe de médicos e uma unidade de tratamento exclusiva, o que significa testes para COVID-19 (algo raro no planeta), parecem surtir muito efeito. O temor é grande.

Nesta semana, dirigentes da Premier League e dos clubes vão discutir esse plano mais profundamente, assim como estudar cortes nos salários e mudanças contratuais futuras.