<
>

Clubes da Série B anunciam férias coletivas e possível redução salarial dos jogadores

play
Edu Dracena pede 'cautela' e reitera cuidado para combater o coronavírus: 'Primeiro, temos que cuidar da nossa saúde' (1:21)

Ex-zagueiro falou sobre as conversas entre o Palmeiras e a FPF (1:21)

Nesta quinta-feira, os 20 clubes que disputarão a Série B do Campeonato Brasileiro deste ano publicaram uma série de medidas tomadas em conjunto visando minimizar os danos causados pelo coronavírus. Dentre elas, está o início de férias coletivas para todos os envolvidos nas atividades futebolísticas e a possibilidade de redução salarial dos jogadores.

Foi decidido que atletas profissionais, membros de comissões técnicas e funcionários entrarão em férias coletivas de 20 dias, prorrogáveis por mais dez dias, a partir de 1º de abril. A prorrogação será avaliada no dia 15 de abril, levando em conta o estágio do combate ao coronavírus no Brasil.

As equipes salientaram que pagarão todos os salários de março, porém foi deliberado que, caso não haja uma normalização das atividades do futebol no Brasil após as férias coletivas, poderão reduzir os vencimentos de todos os atletas profissionais, membros de comissões técnicas e funcionários em 25%. Essa medida seria adotada até o final da paralisação. Além disso, foi determinada a suspensão de todos os contratos de direito de imagem durante esse período.

Em termos de calendário, os clubes oficializaram um pedido para que as federações responsáveis pela organização dos campeonatos estabeleçam um prazo mínimo de 20 dias entre o final da paralisação e o retorno de partidas oficiais.

Por fim, todas as equipes se comprometeram a disponibilizar suas estruturas para as autoridades sanitárias e de saúde, que poderão instalar leitos, coletar sangue, realizar exames e quaisquer outras atividades que colaborem no combate à COVID-19.