<
>

Santos faz homenagem póstuma a Zoca, “irmão que todo Rei precisa”

Pelé e Zoca (Foto: Reprodução/Site Oficial do SFC)

O Santos, por meio do seu Centro de Memória, fez uma homenagem póstuma a Jair Arantes do Nascimento, o Zoca, único irmão homem de Pelé.

Zoca morreu na madrugada desta quinta-feira, em Santos, aos 77 anos, após tratamento de mais de um ano por conta de câncer de próstata.

O Peixe classificou Zoca como “Escudeiro do Rei” e “irmão que Todo Rei precisa ter”. Dois anos mais novo que Pelé, ele enfrentou concorrência forte no ataque do Alvinegro…

Com dois centímetros a menos e boa técnica, Zoca foi utilizado algumas vezes pelo técnico Lula entre 1960 e 1962, antes de desistir da carreira e ajudar por muitos anos nas empresas da família.

Em 10 de abril de 1961, Zoca entrou no lugar de Coutinho na goleada por 6 a 1 sobre o América-RJ na Vila Belmiro, pelo Torneio Rio-São Paulo. A torcida esperava por um segundo Pelé e pediu para ele cobrar um pênalti no fim do jogo. Nervoso, o caçula perdeu a penalidade.

O primeiro gol ocorreu 11 dias depois, em um amistoso contra a seleção do Distrito Federal, na Vila Planalto, em Brasília: 4 a 0 para o Santos, com gol dele, Sormani, Coutinho e Tite.

Zoca continuou no time de aspirantes à espera de oportunidades. A principal surgiu entre abril e junho de 1962, quando a seleção brasileira contou com sete santistas na Copa do Chile e abriu espaço no elenco para a Copa São Paulo. O caçula alternou bons e maus momentos e acabou não aproveitado na excursão posterior à Europa.

Zoca treinou no Santos por mais quatro anos e decidiu abandonar o futebol em 1966, ano difícil para Pelé, com problemas físicos consecutivos e a ausência na Copa da Inglaterra. No total foram 15 jogos e quatro gols.

Zoca foi um executivo discreto do Grupo Pelé e morava em São Vicente, na Ilha Porchat, ou em Nova York. Ele continuou ao lado do Rei na empresa mesmo com a venda para a Legend 10/Sport 10.

O corpo de Zoca será velado nesta quinta-feira no Cemitério Memorial Necrópole Ecumênica, em Santos. Poucas pessoas são esperadas por conta da recomendação de evitar aglomerações em meio ao novo coronavírus. Solteiro, o caçula de Pelé deixa uma filha.