<
>

Presidente do Boca descarta Cavani: 'É bom, mas já temos Tevez'

No meio de toda comoção por contra do coronavírus, começou a circular na imprensa argentina que o Boca Juniors estaria atrás de um nome pesado para sua linha de ataque.

Deixado de lado por Thomas Tuchel no início da temporada, Edinson Cavani começou a ganhar mais minutos no clube parisiense pouco antes da pandemia de covid-19 se espalhar de forma mais intensa pelo mundo e paralisar praticamente todas as ligas esportivas do mundo. Hoje, com seu contrato chegando ao fim, seu nome começa a aparecer em diversas listas de negócios de graça ao final da temporada.

O uruguaio de 33 anos, desde 2013 no PSG e sem contrato a partir de a 1º de julho, seria um grande reforço para a grande maioria dos clubes sul-americanos. Mas já tem gente descartando o centroavante.

Quando perguntado sobre o assunto, o presidente do Boca, Jorge Amor Ameal, não se empolgou em ter um dos atacantes mais cobiçados dos últimos tempos: “Quando o campeonato termina, começam a aparecer muitas especulações falando que o Boca quer fulano ou ciclano. O Cavani é um jogador muito bom, mas que ganha uma grana alta. Hoje, nós temos o Tevez e se ele quiser continuar, não tem problema”.

O presidente do clube xeneize ressaltou ainda mais a figura de Tévez para os torcedores e sua importância para o time nos momentos finais da temporada, e confirmou a intenção de continuar contando com o futebol do argentino: “Não falamos de um novo contrato ainda. Enquanto a bola estava rolando, nós não falamos. Vai depender mais do Tévez, porque ele está bem e com vontade. Alguns outros queriam trazer um centroavante, mas nós dizemos que não era necessário. Bem, o time terminou goleando, jogando bem e sendo campeão”.