<
>

PSG cogita reduzir salários por coronavírus e decisão pode afetar Neymar e Mbappé

Em meio à paralisação do futebol francês e europeu pelo coronavírus, o Paris Saint-Germain busca forma de equilibrar suas finanças e, para isso, pode cortar os salários dos jogadores. A informação é da revista France Football.

O presidente do clube, Nasser Al-Khelaifi, já teria expressado sua opinião favorável à redução dos vencimentos dos funcionários do PSG, uma vez que o time francês continua paralisado por causa da pandemia.

Al-Khelaifi teria se inspirado no Barcelona. O presidente do clube espanhol, Josep Bartomeu, já iniciou contato com os líderes do elenco, como Messi e Piqué, para discutir a redução salarial temporária. E a ideia teria sido bem aceita pelos jogadores.

Se o mesmo for repetido no PSG, nomes como Neymar e Mbappé podem ser bastante afetados, uma vez que possuem os maiores salários do elenco e do futebol francês. Segundo a própria revista, o brasileiro recebe 48,9 milhões de euros (R$ 266,1 milhões) por ano, enquanto o francês ganha 21,2 milhões (R$ 115,36 milhões).

Apenas com salários, o PSG tem gasto programado de 371 milhões de euros (R$ 2,01 bilhões) para esta temporada, na qual o orçamento do clube estava estimado em 637 milhões (R$ 3,46 bilhões) antes dos impactos do coronavírus.