<
>

Premier League: veja como clubes têm se envolvido na luta contra o coronavírus

play
Premier League discute redução salarial por quarentena do coronavírus: Natalie traz principais notícias da Inglaterra (1:09)

Na segunda divisão, o Birmingham já propõe corte de 50% nos vencimentos dos jogadores (1:09)

Uma situação de exceção pede medidas excepcionais. E pensando nisso, clubes da Premier League vem mostrando engajamento e criatividade no combate a pandemia do coronavírus. Geralmente por meio de suas fundações, as colaborações vão de doações até participação das suas maiores estrelas.

Carlo Ancelotti, campeão da Premier League comandando o Chelsea e três vezes ganhador da Champions League, ligou para um dos torcedores do Everton que pertence ao grupo de risco para conversar, e até dar dicas sobre séries.

Outros clubes também resolveram se aproximar dos seus fãs. Jogadores do Brighton vão ligar para torcedores mais velhos que estão em isolamento, e o Wolves escalou um time de ex-atletas e lendas do clube para fazer mais de 2.000 ligações telefônicas ou de vídeo. Declan Rice, volante do West Ham, fez uma ligação surpresa para um torcedor de 72 anos.

A Tottenham Hotspur Foundation organizou sua primeira sessão de yoga virtual para pacientes em tratamento de câncer, e também está aprimorando aulas virtuais de exercícios voltados aos mais velhos.

Nesta quarta-feira, estrelas da Premier League lançaram a campanha #FootballUnited, cujo objetivo é arrecadar 100 mil libras para ajudar comunidades locais durante a pandemia. Hector Bellerín (Arsenal), Wan Bissaka (Manchester United), Reece James (Chelsea), Andros Townsend (Crystal Palace) e Callum Wilson (Bournemouth) são os atletas capitaneando a ação. Eles esperam que outras figuras do futebol possam também aderir a ideia.

Antes desta iniciativa, Manchester United e City se uniram para contribuir financeiramente: juntos, doaram 100 mil libras aos bancos de alimentos da cidade, locais que dão comida a pessoas que precisam. O Newcastle foi na mesma linha e doou, entre outros itens, 1.200 tortas e uma variedade de carnes. O Bunrley, além de auxiliar os bancos de alimento da cidade, viu seus jogadores se juntarem para doarem dinheiro, atitude que foi seguida pelo próprio clube.

Ainda no norte da Inglaterra, o Sheffield United disponibilizou o estacionamento do tradicional Bramall Lane para funcionários de hospitais públicos. O Chelsea foi um dos primeiros a tomar uma grande iniciativa e cedeu o hotel que se encontra dentro da área de Stamford Bridge para médicos e profissionais da saúde.