<
>

Torcedores do Liverpool reclamam do risco que correram em jogo contra o Atlético na Champions

play
Carrasco do Liverpool na Champions mostra que também é carrasco em casa e deixa esposa 'presa' com pegadinha (0:55)

Marcos Llorente classificou o Atlético de Madrid em Anfield | via Instagram @marcosllorente (0:55)

Torcedores do Liverpool presentes à derrota de seu time para o Atlético de Madrid, no último dia 11, pela Champions League têm mais do que a eliminação para lamentar. Tem, aliás, motivo para revolta - e é com esse sentimento que alguns afirma estar.

Isso porque cerca de 3 mil torecdores espanhóis estiveram em solo inglês mesmo com seu país com jogos a portões fechados e, àquela altura, com o maior percentual de doentes com COVID-19 na Europa.

Existe o consenso de alguns setores na Inglaterra de que a partida pode ter sido porta de entrada para muitas infecções pelo coronavírus.

A culpa não recai somente sobre os torcedores espanhóis, é claro. Afinal, o jogo aconteceu porque o governo inglês assim permitiu, antes de se dar conta de que era mais do que necessário isolar a população em quarentena.

Dan Wakefield, 33, torcedor do Liverpool, por exemplo, sofre de uma condição que o impede de se locomover sem auxílio de cadeira de rodas e confere a ele severos probleas respiratórios - o que o coloca no grupo de risco.

"Fomos expostos a um risco completamente desnecessário", brada.

Curiosamente, na mesma noite em que o Liverpool foi eliminado pelos espanhóis, o primeiro-ministro Boris Johnson decretou isolamento aos cidadãos e fechou todas as instalações passíveis de reunir aglomerações - como, por exemplo, estádios de futebol.