<
>

Defensa y Justicia é multado por ato racista de torcedor em jogo contra o Santos

play
Esposa de Dani Alves flagra camisa 10 do São Paulo em momento curioso: limpando o bumbum do cachorro (0:13)

Joana Sanz compartilhou a cena em sua conta oficial | via Instagram @joanasanz (0:13)

O Defensa y Justicia recebeu uma multa de US$ 20 mil (R$ 101 mil) pelo ato racista de um torcedor no jogo contra o Santos, em 3 de março, na Argentina, pela primeira rodada da Copa Libertadores.

Mesmo com a identificação do torcedor e a proibição de voltar ao estádio Norberto Tomaghello, o Defensa foi punido pela confederação sul-americana de futebol. Outros três mil dólares (R$ 15 mi) terão de ser pagos por um objeto arremessado no gramado.

“As multas serão descontadas dos prêmios que a Conmebol dá aos clubes que participam da Libertadores. Sabendo da situação econômica do povo, a instituição buscou que tudo seja uma festa, com entradas baratas para que todos estivessem presentes. O baixo valor dos ingressos se compensaria com ingressos que a Conmebol concede às instituições por cada partida da Copa. Sem dúvida, as multas afetam a sustentabilidade dessa estratégia", apontou o clube em nota.

"Para nós, jogar a Libertadores é um desafio não só esportivo, mas também um grande incentivo aos nossos cofres, já que os ingressos do torneio nos permitem pensar em soluções de melhora na infraestrutura e seguir crescendo. Uma vez que a região possa controlar o surto do novo coronavírus, permitindo a retomada da competição, voltaremos a receber times visitantes no Tito Tomaghello. Solicitamos a colaboração de todos para que esses encontros sejam uma festa, e que todos assegurem um comportamento correto de todos os presentes. Muito obrigado”, completou.