<
>

'Quando sair, Ronaldinho me disse que nunca mais quer voltar ao Paraguai', diz amigo do futevôlei

Ronaldinho Gaúcho e Fernando Lugo levam uma amizade há quatro anos dividindo uma paixão em comum: o futevôlei.

Ao lado de Esteban Davalos, o jogador paraguaio foi campeão mundial da modalidade em 2016 no Rio de Janeiro e como prêmio recebeu o troféu das mãos do 'bruxo' além de ter sido convidado para conhecer sua casa.

"É meu ídolo. Do meu ponto-de-vista, é o melhor jogador da história do futebol", disse sem rodeios o "Chorei" (como é conhecido no futevôlei) em entrevista ao ESPN.com.br.

Fernando Lugo, agora, reencontrou o amigo em uma situação completamente diferente: visita à Agrupación Especializada, prisão de alta segurança em Assunção, onde Ronaldinho e Roberto Assis estão detidos há quase duas semanas por terem entrado no Paraguai com passaportes falsos.

"Isto tudo dói muito", admitiu o atleta. "Me contaram que vinha a Assunção para ajudar as crianças e depois aconteceu tudo isso".

Ele foi até a carceragem na quarta-feira 11 de março e contou como foi.

"Ele estava bem, não lhe falta nada, fica circulando sem restrições. É um tipo humilde, está sempre sorrindo. Me disse que não sabe por que está preso", contou. "Quando sair, Ronaldinho me disse que nunca mais quer voltar ao Paraguai. E por que ele iria querer voltar depois disso?".

Lugo admite que o amigo cometeu um crime, mas afirmou que fizeram uma "trapaça" com o duas vezes melhor do mundo: "Por que ele precisaria de documento falso para entrar aqui? Ele está sempre viajando e entra em qualquer lugar do mundo".

Questionado se vê a prisão no Paraguai como uma mancha na história de Ronaldinho - que completará 40 anos no próximo sábado -, o jogador de futevôlei falou: "Acredito que não, não vai afetar muito, porque ele não tem culpa de nada".